18 segredos do marketing de guerrilha

4 de Dezembro de 2012 Por SAP Blogs 0

O termo “marketing de guerrilha” foi criado pelo famoso publicitário Jay Conrad Levinson no seu livro Guerrilla Marketing de 1984. Ali, Levinson o descreve como “estratégias não convencionais de marketing utilizadas em casos em que os recursos financeiros são escassos ou inexistentes.”

O marketing de guerrilha é muito recomendável para PMEs, já que não requer de um grande orçamento, mas de muita criatividade.

Naquela época, o autor baseava sua definição nos grafites e outras expressões de arte de rua, mas na atualidade o marketing de guerrilha (também chamado de “extreme marketing”) implica ambientações, flash mobs, blogs, eventos, cartazes e muito mais.

Para as PMEs, é uma estratégia de marketing muito recomendável, já que não requer de um grande orçamento, mas de muita criatividade. A ideia é poder transformar situações cotidianas em experiências únicas para o consumidor.

No livro, o autor compartilha 18 palavras secretas que as pequenas e médias empresas devem levar em conta na hora de planejar seu marketing de guerilha:

  1. Compromisso. É a chave do sucesso de uma estratégia de marketing, a que faz a diferença entre uma estratégia brilhante e uma medíocre.
  2.  Investimento. O marketing é um investimento, não um gasto.
  3.  Consistência. A repetição é o melhor aliado do marketing de guerrilha.
  4.  Confiança. A principal razão pela que uma pessoa escolhe uma marca é a confiança. Então, em primeiro lugar vem a qualidade, depois a atenção ao cliente e por último, o preço.
  5.  Paciência. Os responsáveis de marketing devem ser pacientes, já que se não forem, será impossível se comprometerem com a marca.
  6.  Diversidade. Algumas estratégias de marketing não funcionam bem por si só e devem ser combinadas com outras para ter sucesso.
  7.  Praticidade. O tempo é ainda mais valioso que o dinheiro. Se respeitarmos esta máxima, será fácil administrar nossa empresa e fazer negócios com ela.
  8.  Frequência. O lucro chega depois de várias compras e referências de boca em boca. Por isso, o marketing começa – e não termina – com a venda.
  9.  Assombro. Certamente nosso negócio tem aspectos surpreendentes, mas já o consideramos terminados. A estratégia de marketing deve destacar esses aspectos.
  10.  Mensuração. Para saber que estratégias funcionaram e quais não, precisamos medir os resultados. Isso nos permitirá continuar aplicando as que obtiveram mais êxitos e descartando as que falharam.
  11.  Participação. Nosso papel nas ações de marketing é dar seguimento a elas, enquanto o dos clientes é comprar e recomendar nossos produtos.
  12.  Dependência. No marketing de guerrilha, devemos cooperar com outros negócios ao invés de competir com eles. As alianças nos permitirão que possamos nos promover mais por muito menos.
  13. Armamento. São os materiais que necessitamos para vencer: computadores, celulares, redes sociais e muitos outros.
  14.  Consentimento. Para evitar que nossas ações de marketing sejam mal interpretadas, devemos conseguir primeiro a aceitação dos potenciais clientes.
  15.  Crescimento. Nosso site e perfis sociais devem crescer e se manterem atualizados com promoções, tanto online como offline.
  16.  Conteúdo. Os clientes nos escolherão pela nossa essência, não por nossa embalagem.
  17.  Implementação. Não dá para conhecer esses 18 segredos e não colocá-los em prática.
  18.  Congruência. Ser coerentes significa garantir que nossas estratégias de marketing tenham a mesma mensagem e apontem para o mesmo objetivo.

 

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta