Soccer team in a huddle

Transformação Digital: sete perguntas para Bill McDermott

Dezembro 15, 2015 Por SAP Notícias Brasil 44

Bill McDermott fala sobre a contribuição da SAP para a oportunidade digital, e oferece orientação sobre quais estratégias as empresas devem buscar.

Como você descreve a “oportunidade digital”?

Bill McDermott: Este assunto passa por vários nomes e descrições diferentes. Alguns referem-se a isso como “Indústria 4.0”, outros dizem que é a próxima revolução industrial. Quando você elimina os jargões, a economia digital está, em última análise, construída sobre cinco tendências tecnológicas convergentes: hiperconectividade, supercomputação, computação em nuvem, segurança cibernética e um mundo repleto de “coisas” incluindo sensores, inteligência artificial, robôs e impressoras 3D.

Quando penso nos negócios nessa área, há uma oportunidade sem precedentes de evoluir para a “empresa viva”. Desde as experiências do usuário até o quadro de funcionários e a cadeia de suprimentos, um empreendimento ativo prevê o futuro em vez de registrar o passado. Isto significa agilidade total em processos de negócios e a capacidade para personalização em massa de cada consumidor. Isto significa conectar cada colega e ativo a um sistema único, inteligente e totalmente digital, que pode antecipar, simular e inovar novas oportunidades imediatas.

“Quando você elimina os jargões, a economia digital está, em última análise, construída sobre cinco tendências tecnológicas convergentes…”

 COMPARTILHE ESTA CITAÇÃO 

O aspecto mais surpreendente disto é a permissão para essencialmente reinventar o modo como os negócios são administrados. Costumo dizer aos líderes empresariais que o que você focar expande. Quando os líderes constroem clientes a partir de seus clientes, eles estão focados em uma fonte ilimitada de oportunidades. 

  1. Qual é a contribuição da SAP para a oportunidade digital?

Bill McDermott: Quando penso em 2010, a SAP foi a empresa número um do mundo em aplicações empresariais e análise. Foi um grande modelo, mas sabíamos que o mundo estava mudando e que os negócios precisariam da SAP para levá-los a uma nova era. Então, redirecionamos o foco da empresa para uma visão mais ousada a fim de ajudar a melhorar o mundo melhorando a vida das pessoas. Preparamos uma estratégia para sermos a empresa número um em computação em nuvem (o que somos hoje por indicador de usuários), e mudar totalmente o modo como são administrados os negócios, utilizando as quantidades massivas de dados que estavam inativos em bancos de dados dos anos de 1980. A grande ideia foi o SAP HANA, uma plataforma de dados in-memory que simplifica radicalmente a estrutura de TI e oferece vantagens expressivas em velocidade.

Hoje temos o SAP S/4HANA que é o conjunto mais avançado de aplicativos empresariais já criados para a economia digital. Este é o núcleo digital que dá aos negócios o insight, velocidade e segurança para criar novos modelos de negócios digitais. Penso no SAP S/4HANA como o sistema de inovação do século XXI para uma ampla gama de setores. Temos ainda o SAP HANA Cloud Platform, que oferece às empresas, e aos desenvolvedores, a oportunidade de construir alguns dos aplicativos de negócios mais avançados e integrados já possíveis.

Finalmente, somos a única empresa de tecnologia focada na ideia de rede de negócios. Uma nova porta de entrada para o consumidor global que resultará na SAP tornando-se uma verdadeira empresa “consumidor para empresa”, com todo um novo conjunto de participantes do ecossistema. Basta pensar em quanto as redes sociais têm mudado o comportamento dos indivíduos no dia a dia. Agora, pegue esse conceito e aplique-o ao modo como as empresas trabalham em conjunto para entregar coisas como materiais indiretos ou serviços relacionados a viagens. Mesmo algo como oportunidades temporárias de trabalho baseadas em projetos são agora originadas em rede de negócios da SAP. Pense nisso: a SAP se aproxima de 1 trilhão de dólares em transações comerciais por meio da rede de negócios, e nem sequer arranhamos a superfície total deste mercado abrangente. Pense em empresas como eBay, Uber, Airbnb e outras incontáveis. Elas são a próxima geração de parceiros que se juntarão à SAP para acelerar esta mega oportunidade.

Toda esta inovação deve vir acompanhada por uma linda experiência do usuário, pela qual a SAP nem sempre foi conhecida. Hoje, estamos mais que nunca focados na empatia do usuário; razão pela qual continuamos ganhando prêmios de design por todo o mundo. Precisa ser belo, fácil de usar e melhorar a vida profissional das pessoas.

  1. Como você responde aos críticos que dizem que a oportunidade digital pode ser um tiro pela culatra, uma vez que será impossível lidar com o enorme volume de dados?

Bill McDermott: Se Hasso Plattner não tivesse inventado o SAP HANA, acredito que as pessoas teriam alguma razão quanto ao incrível volume de dados. Tendo dito isto, Hasso sabia que isto seria o desafio determinante desta era, por essa razão criou a plataforma que foi projetada para gerenciar transações e análises em uma única plataforma. A capacidade de processamento do SAP HANA é a verdadeira mudança no jogo, o que torna coisas como experiência do usuário redefinida e ativos conectados digitalmente uma realidade. Os dados foram e sempre serão o recurso mais precioso desta economia digital. De muitas formas, os dados em si são o novo modelo de negócios. Pense em quanta informação as empresas criaram na última década que estão, literalmente, inativas em cofres de bancos de dados! Hoje, os vencedores nos negócios estão obcecados por descobrir como utilizar esta informação para fornecer produtos e serviços que os consumidores sempre esperaram. Então minha resposta aos críticos seria, sim, se vocês acreditam na tecnologia do século XX, posso lhes garantir que a oportunidade digital não será materializada. Contudo, para essas empresas que pensam no futuro, as possibilidades são de fato ilimitadas em termos de crescimento e expansão.

  1. Que orientação você daria para as empresas que tentam entender como suas estratégias se encaixam na economia digital e como essas poderiam agarrar a oportunidade digital?

Bill McDermott: Um dos grandes revolucionários nos negócios da atualidade é o fundador, presidente e diretor executivo da Under Armour, Kevin Plank. Quando Kevin fala a seus funcionários da Under Armour, ele os lembra sobre um aspecto: não se esqueçam de vender camisas e sapatos. Kevin pensa que é assim que sua empresa gera receitas na caixa registradora e entrega sua promessa aos atletas para confiarem em sua marca. Para Kevin, a economia digital não significa substituir a promessa original, trata-se de dimensioná-la e fazer coisas novas que torna a essência de seu negócio o melhor do mundo. Para uma empresa de artigos esportivos, isso significa saber exatamente onde seus clientes estão, quais são suas paixões e que outras inovações eles ainda terão. Kevin e sua equipe têm agora a oportunidade de ampliar a essência e ao mesmo tempo imaginar modelos de negócios totalmente novos. Ao adotarem a plataforma SAP HANA em toda a empresa, eles podem ver e engajar cada cliente individual desde o tweet até o recebimento –em cada canal ou comunidade, em qualquer dispositivo. Como o vestuário em si tornou-se um dispositivo que informa biorritmos e performance do atleta, em breve você terá empresas de saúde e tecnologia com um futuro vinte vezes maior que o sonho original.

Então minha mensagem para os líderes empresariais é muito simples: temos que fazer tudo ao mesmo tempo. Os líderes podem acelerar a essência e continuar inventando modelos de negócios totalmente novos num piscar de olhos. Essa imaginação nos permite simular, prever e inventar o futuro em vez de perder nosso tempo precioso reportando o que já aconteceu. Estejam abertos a novas parcerias que possam ajudá-los a oferecer novos produtos e serviços – alguns desses basicamente digitais. Acima de tudo, tenham uma visão clara e uma estratégia sobre o que o mundo significa para vocês e para onde estão indo. Os líderes serão perdoados por muitos atos, mas jamais por falta de visão e estratégia.

  1. Qual será o próximo setor a ser reinventado nos próximos anos?

Bill McDermott: Acredito que se você olhar o setor de saúde – 10% ou mais do PIB mundial – está prestes a ser reinventado de um modo bastante significativo. Por muito tempo a pessoa com menos força no sistema de saúde foi o paciente. Neste ponto, a intuição vai de encontro a uma solução ainda não alcançada em um mercado de proporções gigantescas. A pesquisa médica, os registros eletrônicos de saúde, a sequência do genoma humano e a medicina personalizada, tudo isso vinculado a uma plataforma única, digital e in-memory representou um enorme feito. Vejo o SAP HANA como a fundação da medicina personalizada devido a sua capacidade sem precedentes de gerenciar todos esses dados – sejam dados de genoma, estudos clínicos ou informações de pacientes. Não há no curto prazo uma justificativa de negócio que faça muito sentido. Dito isto, devemos fazer isso não só por motivos comerciais mas em consideração aos primeiros respondedores, enfermeiras, médicos, cirurgiões e por fim ao paciente. O tecido humano conseguiu manter-se. Está na hora de receber ajuda dos líderes e da tecnologia. Podemos fazer mais e melhor. Tive uma experiência e por isso sei disso.

  1. Qual é o papel da liderança neste ambiente turbulento?

Bill McDermott: A verdadeira medida de um líder não é o que tiramos deste mundo, mas o que damos. Você deve ser humilde e faminto, inspirando-se na fome de alguém que não tem nada a perder e na humildade de saber que sempre dependerá das pessoas ao seu redor. É desse modo que você desenvolve objetivos comuns, valores compartilhados e uma cultura construída com base na confiança duradoura. Acima de tudo, sua palavra deve defini-lo. Se fizer uma promessa, cumpra-a. Isso é o que significa ser um líder de consequências, um padrão em que todos devemos nos desafiar constantemente. Se houve um momento em que desempenhar o papel de liderança foi importante, este é o momento. As pessoas estão em busca de permissão para fazerem diferente e inovarem da melhor forma possível. Eu sempre acreditei que uma das frases mais destrutivas usada nos negócios é “sempre fizemos desse jeito.” Os líderes precisam rejeitar este tipo de complacência e criar um ambiente onde todos os colaboradores se sintam impulsionados por um propósito maior. Na SAP, escolhemos focar em ajudar o mundo a funcionar melhor e facilitar a vida das pessoas. Se o líder não tiver uma visão ousada como esta, as pessoas jamais o seguirão.

  1. Em seu livro Winners Dream,você descreve o protótipo do sonho americano e as incertezas e desafios que superou. O que você espera no próximo capítulo da sua vida?

Bill McDermott: Minha maior aspiração é ser um marido dedicado, pai atuante, bom irmão e amigo – essa é a minha paixão. Além disso, eu vivo cada dia abençoado pela certeza de que estou fazendo exatamente o que eu quero, rodeado por pessoas em que acredito profundamente. Tudo na minha vida começou com um sonho de vencedor e posso afirmar que o sonho é a jornada em si, uma vez que você luta para torná-lo uma realidade e cria uma vida autêntica.

Não se trata do fizemos, mas muito mais do que deixamos de fazer. Esses são tempos incríveis e o tamanho de nossas ambições está diretamente relacionado ao futuro das empresas que deixarmos para trás. Precisamos ter vontade de solucionar os maiores desafios do mundo, pois essas serão as oportunidades mais valiosas.

Tags: , , , ,

Deixe uma resposta