Soccer team in a huddle

Big data storytelling – Por que a visualização de dados é importante?

7 de Janeiro de 2016 Por Ivy Leça 110

Coletar dados e organizar informações relevantes são atividades extremamente importantes para os negócios. Porém, a mesma informação pode ter inúmeras interpretações, gerando percepções bem distintas e aplicações diferentes. Tão importante quanto à coleta de dados é a sua visualização. É o que chamamos de big data storytelling.

Em seu post The Tail End, Tim Urban fez um pequeno teste. Tim, que tem 34 anos, e estimando viver até os 90, começou desenhando uma representação gráfica de seus anos de vida. Depois representou o mesmo tempo em meses. Veja o resultado:

90_anos

Tim então se questionou como seria essa representação se, ao invés de medir sua vida em unidades de tempo, fizesse o mesmo utilizando atividades ou eventos. Para isso ele pegou a mesma informação e representou graficamente a quantidade de invernos que ainda teria pela frente em sua vida, e fez o mesmo com a quantidade de Superbowls:

eventos anos

Com esse simples teste podemos ver como os mesmos dados, as representações dos 90 anos de vida de uma pessoa, podem ser vistos de diferentes perspectivas.

Big data storytelling

O big data storytelling é uma forma de construir histórias com base em dados. Saber apresentar dados de uma forma mais atrativa é muito vantajoso não somente para a área de marketing, como para o RH e a própria liderança. Criar histórias envolventes e apresentações visualmente interessantes é o caminho para tornar os números algo mais “concreto” e atrair a atenção do público.

O big data storytelling começa com a coleta e análise de dados. Em meio a uma avalanche de informações é preciso selecionar o que é realmente relevante para o seu público. Essa análise, assim como a história gerada a partir dela, deve ser simples e objetiva, pois o big data storytelling caminha contra a complexidade.

Uma das principais tendências da comunicação digital são os vídeos, graças ao seu dinamismo. Por isso os GIFs, que nada mais são do que vídeos bem curtos e compactos, ganham destaque. Uma pesquisa do Static Brain Research Institute aponta que a duração média de atenção humana é de 8,25 segundos, um bom tempo para um GIF atraente com conteúdo relevante.

Também é possível trabalhar com o big data storytelling de forma mais dinâmica. Com as mídias sociais de compartilhamento ao vivo, como Hangout ou Periscope, é possível apresentar novidades, cobrir eventos e interagir com seu público em tempo real.

Finalmente, é preciso ter em mente que o big data storytelling é diferente de transformar dados em gráficos. O objetivo é criar histórias atraentes a partir de dados relevantes.

Tags: , ,

Deixe uma resposta