Receitas da SAP em 2001 ascendem a 7.3 mil milhões de euros; Vendas recorde no Quarto Trimestre

January 23, 2002 by SAP News 0

A SAP atingiu a liderança no segmento de Supply Chain Management (SCM) e é o fornecedor número 2, com um crescimento acelerado, em Customer Relationship Management (CRM).
A SAP é, hoje, líder no fornecimento de soluções abertas e integradas.

LisboaA SAP AG, o fornecedor líder de soluções de e-business, anunciou hoje os seus resultados financeiros para o Quarto Trimestre de 2001 e para o total do ano, com o período em análise a terminar a 31 de Dezembro de 2001. No Ano Inteiro, as Vendas cresceram 17% em relação a 2000, para €7.34 mil milhões (€6.27 mil milhões no ano anterior).

Resultados do Quarto Trimestre

No Quarto Trimestre de 2001, as Receitas subiram 7% em relação ao mesmo período do ano anterior, para €2.32 mil milhões (€2.16 mil milhões em 2000). As Receitas Operacionais, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista (STAR e LTI) e com a aquisição da TopTier, desceram 8%, para €613 milhões (contra €668 milhões em 2000). A Margem Operativa, sem considerar as compensações accionistas e os custos relacionados com a aquisição da TopTier, fixou-se nos 26% (em 2000 foi de 31%). Os Resultados Líquidos para o Quarto Trimestre de 2001, ajustados aos custos de aquisição da TopTier e ao impacto da Commerce One, foram de €379 milhões (€375 milhões em 2000) e os Ganhos por Acção (Earnings per Share) cifraram-se em €1.21 (€1.19 em 2000).

"A SAP está isolada no esforço de fornecer, às empresas e organizações, ferramentas que permitam uma abordagem global à eficiência de negócio," comentou Hasso Plattner, Co-Presidente e CEO da SAP AG. "Continuamos a reforçar a nossa oferta em CRM, SCM, ERP e Marketplaces/Portais, apostando em tecnologia que unifica o investimento em software já existente e que visa atingir o melhor retorno."

No trimestre, as Receitas na região que compreende a Europa, Médio Oriente e África (EMEA) evoluíram 6%, para €1.2 mil milhões (€1.14 mil milhões em 2000), enquanto na região Ásia-Pacífico (APA) se assistiu a um aumento de 8% nas Receitas, para €248 milhões (€230 milhões no ano anterior). As Receitas na região Americas subiram 8%, para €864 milhões (€797 milhões em 2000), ainda que, se considerássemos uma taxa constante de conversão de divisas, as Receitas nesta região pudessem ter crescido 13%. "A nossa organização portou-se muito bem no Quarto Trimestre, especialmente se tivermos em consideração o actual ambiente de negócios, bastante desfavorável. Os resultados na Europa foram sólidos, como esperado, e os resultados nos EUA excederam as nossas expectativas, continuando a SAP a ganhar quota de mercado," afirmou Henning Kagermann, Co-Presidente e CEO da SAP AG. "O nosso ênfase agora vai declaradamente para o cliente, e, nesse sentido, estamos a lançar uma linha de novos produtos e serviços, bem como a melhorar expandir as soluções existentes, para dar origem a uma oferta de software irresistível", continua.

As Receitas de Produto no Quarto Trimestre cresceram 5%, para €1.6 mil milhões (€1.52 mil milhões em 2000), com as Receitas de Licenças a perder 2%, para €1.03 mil milhões (€1.06 mil milhões em 2000). As Receitas de Consultoria e de Formação cresceram 11%, para €572 milhões (€516 milhões em 2000), e 5%, para €117 milhões (€111 milhões), respectivamente.

A SAP continuou a conquistar quota de mercado nas vendas de soluções específicas de software. Assim, as Receitas de Software relacionadas com o mySAP CRM (Customer Relationship Management) alcançaram, aproximadamente, €196 milhões, número que representa 19% do total de vendas de licenças de software (€1.03 mil milhões). As Receitas que dizem respeito ao mySAP SCM (Supply Chain Management) totalizaram cerca de €232 milhões, equivalentes a 23% do total de Vendas de Licenças de Software. Estes valores incluem as receitas de contratos para soluções específicas, bem como as receitas resultantes de contratos para soluções integradas.

Resultados do Ano Inteiro

Em 2001, as Vendas cresceram 17% face ao ano anterior, para €7.34 mil milhões (€6.27 mil milhões em 2000). As Receitas Operacionais, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com a aquisição da TopTier, subiram 18%, para €1.47 mil milhões (€1.24 mil milhões em 2000). As Receitas de Licenças aumentaram 5%, para €2.58 mil milhões (€2.46 mil milhões em 2000). As Receitas de Consultoria cresceram 27% para €2.08 mil milhões (€1.65 mil milhões no ano transacto) e as Receitas de Formação subiram 16%, para €466 milhões (€401 milhões em 2000).

No período em análise, as Vendas na região EMEA melhoraram 23%, para €3.8 mil milhões (€3.09 mil milhões em 2000), ao passo que na região APA a subida foi na ordem dos 9%, para €841 milhões (€769 milhões em 2000), e nas Américas se assistiu a um crescimento das Vendas de 12%, para €2.7 mil milhões (€2.41 mil milhões em 2000).

As Receitas de Software relativas ao mySAP CRM (Customer Relationship Management) ascenderam a €445 milhões, ou seja, 17% do total da venda de licenças de software (€2.58 mil milhões). Quanto ao mySAP SCM (Supply Chain Management), as Receitas de Licenças do ano inteiro totalizam cerca de €583 milhões, o equivalente a 23% do total da Venda de Licenças de Software. Estes dados incluem as receitas de contratos para soluções específicas, bem como as receitas resultantes de contratos para soluções integradas.

Perspectivas

A SAP espera que 2002 seja outro ano repleto de desafios, na medida em que os padrões de venda de software continuam perturbados, num ambiente económico quase hostil. Para o Ano Inteiro, a SAP conta que as suas receitas cresçam cerca de 15%, com um aumento das vendas de licenças de software, particularmente na segunda metade do ano, mas em linha com os desenvolvimentos dos trimestres anteriores. As expectativas de crescimento para as Margens Operativas, excluindo os custos relacionados com os programas de compensação accionista e com a aquisição da TopTier, apontam para um acréscimo de, pelo menos um ponto percentual em relação aos 20.0% alcançados em 2001. Uma evolução mais positiva pode começar a desenhar-se, de forma mais evidente, na segunda metade do ano, conforme a performance das vendas de licenças de software for melhorando e o Grupo beneficiar das medidas de redução de custos, actualmente, entradas em vigor.

Outras Informações relativas a 2001

  • A SAP consolidou a sua posição de líder mundial de soluções de software para e-business. Os maiores contratos assinados no último trimestre de 2001 incluem a Air Products, Graybar Electric, Nike, Petrobras e PricewaterhouseCoopers, nas Américas; a Danone, Deutsche Post, EDF-GDF, Hoffmann La Roche e Unilever, na EMEA; a CLP Power HongKong, Mitsubishi Heavy Industries, Samsung e Yamaha, entre outros, na APA
  • A SAP apresentou a mySAP Technology para integração aberta na TechEd 2001, em Los Angeles. A mySAP Technology baseia-se em três elementos: Web Application Server, Exchange Infrastructure e Portal Infrastructure. Esta tecnologia reduz os custos de propriedade (ownership), ao mesmo tempo que aumenta a flexibilidade, permitindo a colaboração ao longo dos diversos processos de negócio e entre utilizadores (mesmo para além das fronteiras da empresa), tendo como ponto de partida uma infra-estrutura Web segura.
  • A SAP concluiu o investimento adicional na Commerce One: todas as aprovações necessárias por parte da divisão Anti-Monopólio dos EUA (U. S. Antitrust Authorities) foram concedidas à SAP , viabilizando a segunda fase de investimento, que estava condicionada à concessão das referidas aprovações. A SAP controla agora cerca de 20% do capital da Commerce One.
  • A SAP iniciou a comercialização da mais recente versão do mySAP Customer Relationship Management, a nível mundial, em Agosto: o mySAP CRM garante um leque e profundidade de funcionalidades sem paralelo, numa gama alargada de funções CRM. Para além disso, a solução mySAP CRM pode, igualmente, funcionar como plataforma de integração aberta, tanto com aplicações SAP como com aplicações não-SAP.
  • A SAP AG criou uma Organização Global de Serviços Profissionais (Global PSO) dentro da própria SAP AG: esta nova unidade vai funcionar em constante contacto com os parceiros globais da SAP, orientando os seus esforços no sentido de satisfazer os clientes de referência que necessitem de serviços de consultoria e soluções globais para projectos de e-business, independentemente da sua localização geográfica, num conceito trans-indústrias.
  • A SAP converteu as sua acções preferenciais em acções ordinárias, migrando para uma política do tipo ‘uma-acção, um-voto’. Esta medida garante maior flexibilidade à SAP, ao mesmo tempo que a aproxima dos padrões e práticas de gestão empresarial internacionais.
  • A SAP recebeu mais de 20,000 pessoas nos seus três eventos para clientes SAPPHIRE, este ano realizados em Lisboa, Orlando e Brisbane. Para além disso, mais de 21.000 pessoas seguiram os referidos eventos pela Internet, em www.sap.com/company/events/sapphire/.

Revenue by Region (in € millions)

  Revenue4Q 2001 Revenue4Q 2000 Change % Change
Total 2,315 2,163 152 7
– at constant currency rates       10
EMEA 1,203 1,136 67 6
– at constant currency rates       7
APA 248 230 18 8
– at constant currency rates       19
Americas 864 797 67 8
– at constant currency rates       13

Key figures at a glance (in € millions) SAP Group

  4Q 2001 4Q 2000 Change % Change
Revenues 2,315 2,163 152 7
License revenues 1,030 1,056 -26 -2
Income before taxes 509 582 -73 -13
Net income 319 367 -48 -13
Headcount
(December 31)
28,410 24,178 4,232 18

Any statements contained in this document that are not historical facts are forward-looking statements as defined in the U.S. Private Securities Litigation Reform Act of 1995. Words such as "believe," "estimate," "intend," "may," "will," "expect," and "project" and similar expressions as they relate to the Company are intended to identify such forward-looking statements. The Company undertakes no obligation to publicly update or revise any forward-looking statements. All forward-looking statements are subject to various risks and uncertainties that could cause actual results to differ materially from expectations. The factors that could affect the Company’s future financial results are discussed more fully in the Company’s filings with the U.S. Securities and Exchange Commission (the "SEC"), including the Company’s Annual Report on Form 20-F for 2000 filed with the SEC on March 28, 2001. Readers are cautioned not to place undue reliance on these forward-looking statements, which speak only as of their dates.

Tags: