Receitas da SAP no Segundo Trimestre de 2002 ascendem a 1.78 mil milhões de euros

July 23, 2002 by SAP News 0

Receita Total para o Segundo Trimestre chega aos €1.78 mil millhões;
Quota de Mercado global cresce;
Previsão para a Margem Operativa confirmada;
Novas perspectivas de receitas para a totalidade do ano 2002

LisboaA SAP AG, o fornecedor líder de soluções de e-business, anunciou recentemente os seus resultados financeiros para o Segundo Trimestre de 2002 e para a Primeira Metade do Ano em curso, com o período em análise a terminar a 30 de Junho de 2002.

Resultados

No Segundo Trimestre de 2002, as Receitas desceram 4% em relação ao mesmo período do ano anterior, para €1.78 mil milhões (€1.85 mil milhões em 2001). As receitas teriam sido as mesmas em relação ao Segundo Trimestre de 2001, se a taxa de conversão de divisas tivesse se mantido inalterada. Os Resultados Operacionais, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, atingiram os €324 milhões (contra os €424 milhões em 2001). A Margem Operacional respectiva fixou-se nos 18%, quando foi de 23% em 2001. Os ganhos antes de interesses, taxas, depreciação e amortização (EBITDA) situaram-se nos €377 milhões (contra os €450 milhões em 2001).

Os Resultados Líquidos para o Segundo Trimestre de 2002, excluindo os custos das aquisições e ao impacto da Commerce One, desceram 25%, para €175 milhões (€233 milhões em 2001) e os respectivos Ganhos por Acção (Earnings per Share) cifraram-se em €0.56 (€0.75 em 2001).

No trimestre, as Receitas na região que compreende a Europa, Médio Oriente e África (EMEA) evoluíram 1%, para €976 milhões (€962 milhões em 2001), enquanto na região Ásia-Pacífico (APA) se assistiu a uma quebra de 5% nas Receitas, para €209 milhões (€220 milhões no ano anterior). As Receitas na região das Américas desceram 12%, para €593 milhões (€671 milhões em 2001), ainda que, se considerássemos uma taxa constante de conversão de divisas, as Receitas nesta região pudessem ter descido apenas 4%.

As Receitas de Produto no Segundo Trimestre foram de €1.09 mil milhões (€1.16 mil milhões em 2001), com as Receitas de Licenças a chegarem aos €496 milhões (€646 milhões em 2001). As Receitas de Consultoria e de Formação fixaram-se nos €545 milhões (€529 milhões em 2001), e nos €115 milhões (€127 milhões) em 2001, respectivamente. O número de empregados a 30 de Junho de 2002 era de 29.354, o que representa um aumento de 1% face ao verificado em 31 de Março de 2002.

As Receitas de Software relacionadas com o mySAP CRM (Customer Relationship Management) alcançaram, aproximadamente, €101 milhões (3% abaixo dos €104 milhões de 2001), enquanto as Receitas que dizem respeito ao mySAP SCM (Supply Chain Management) totalizaram cerca de €104 milhões (31% abaixo dos €150 milhões do ano anterior). Estes valores incluem as receitas de contratos para soluções específicas, bem como as receitas resultantes de contratos para soluções integradas.

“Neste ambiente hostil, a SAP continua empenhada na construção de relações a longo prazo com os clientes e na criação de soluções de software líderes de mercado”, comentou Henning Kagermann, Co-Presidente e CEO da SAP AG. “Vamos continuar a melhorar a forma como gerimos o nosso negócio, de forma a reflectir as realidades dos novos mercados com que lidamos no dia-a-dia”, continuou.

Resultados da Primeira Metade do Ano

Na primeira metade do ano, as Vendas cresceram 2% face ao ano anterior, para €3.44 mil milhões (€3.38 mil milhões em 2001). Os Resultados Operacionais, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, alcançaram os €561 milhões (€657 milhões em 2001). As Receitas de Licenças desceram 19%, para €898 milhões (€1.1 mil milhões em 2001). As Receitas de Consultoria fixaram-se nos €1.08 mil milhões (€987 milhões no ano transacto) e as Receitas de Formação chegaram aos €225 milhões (€236 milhões em 2001).

No período em análise, as Vendas na região EMEA melhoraram 6%, para €1.86 mil milhões (€1.76 mil milhões em 2001), ao passo que na região APA a perda foi de 1%, para €394 milhões (€398 milhões em 2001), e nas Américas se assistiu a um decréscimo de 3%, para €1.18 mil milhões (€1.22 mil milhões em 2001).

“Enquanto a actual situação económica continua a ameaçar o nosso esforço de vendas, foi com muito agrado que verificámos que ganhámos quota de mercado na primeira metade de 2002,” disse Hasso Plattner, Co-Presidente e CEO da SAP AG. “O nosso constante desenvolvimento de produtos e esforços de Investigação & Desenvolvimento vão-nos permitir continuar no mesmo caminho, à medida que os clientes e o mercado reconhecem o valor das soluções SAP”.

Investimentos Minoritários

De acordo com os critérios do US GAAP, a SAP anuncia que registou, no Segundo Trimestre de 2002, custos adicionais referentes à desvalorização de certos investimentos minoritários, em grande parte referentes ao seu investimento de 20% na Commerce One. Estes custos são não-recorrentes e totalizaram €409 milhões, dos quais €315 milhões são relativos ao investimento da SAP na Commerce One. O impacto destes custos, que não podem, na sua maioria ser declarados às Finanças, resultou num prejuízo líquido de €232 milhões, no 2º Trimestre de 2001.

Como consequência do seu investimento na Commerce One, a SAP já incluiu em relatórios de actividade e resultados relativos a Trimestres anteriores parte das perdas da Commerce One. Devido aos custos da desvalorização, os riscos de maiores perdas relacionadas com o investimento da Commerce One está limitado a um valor de cerca de €22 milhões. A aliança estratégica entre a SAP e a Commerce One não é afectada por esta desvalorização.

Perspectivas para o Ano Inteiro

A SAP alterou as suas expectativas de receitas em relação à totalidade do ano 2002. Assim, a SAP espera agora que as receitas cresçam entre 5% a 10%. Partindo de uma projecção conservadora em relação à retoma do mercado, o ‘pipeline’ das vendas pode evoluir 10%. Nas actuais condições de mercado, os compromissos em curso com os clientes devem garantir à SAP um crescimento de 5% em Receitas. A expectativa em relação às Margens mantém-se inalterada. A SAP antecipa que a sua Margem Operacional, excluindo os custos relacionados com os programas de compensação accionista e com a aquisição da TopTier, registe um acréscimo de, pelo menos um ponto percentual em relação aos 20.0% alcançados em 2001.

Destaques do Primeiro Trimestre de 2002

  • A SAP consolidou a sua posição de líder mundial de soluções de software para e-business. Os maiores contratos assinados neste período incluem a Burger King, Cidade de San Antonio, Textron e Wrigley, nas Americas; a Continental, Nordea, Swedish Posten e a UBS na EMEA; BHP Biliton, China Resources, Matshushita Electric e Olympus Optical, entre outros, na APA.
  • A SAP realizou a sua Reunião Geral Anual em Maio. Todos os assuntos apresentados a discussão pelo Supervisory Board e pelo Executive Board foram aprovados por mais de 97% do capital votante representado. Foi pago um dividendo de €0.58 por acção ordinária aos accionistas da SAP. Pekka Ala-Pietilä, Presidente da Nokia Corporation (Finlândia) e August-Wilhelm Scheer, Presidente do Supervisory Board da IDS Scheer AG, foram eleitos como novos representantes dos accionistas no Supervisory Board da SAP.
  • A SAP apresentou o seu programa de novas soluções Smart Business Solutions, para o mercado das Pequenas e Médias Empresas. O programa dirige-se a segmentos distintos deste mercado, sendo baseado no grau de sofisticação das necessidades de Tecnologias de Informação dos clientes, e tendo em conta as funcionalidades aplicacionais específicas da indústria e do cliente.
  • O SAPPHIRE regressa ao parque das nações em 2002. O maior evento europeu de e-business vai ter de novo Lisboa como palco, sendo a primeira vez na história que se repete o local de realização deste mega-evento, o que acaba por reflectir o grau de satisfação alcançado pela edição de 2001, e pelo trabalho da subsidiária portuguesa. A SAP espera que esta mega-conferência traga milhares de pessoas a Lisboa.

Revenue by Region (in € millions)
SAP Group

  Revenue 2Q 2002 Revenue 2Q 2001 Change % Change
Total 1,778 1,853 -75 -4
– at constant currency rates       0
EMEA 976 962 14 1
– at constant currency rates       2
Asia Pacific 209 220 -11 -5
– at constant currency rates       1
Americas 593 671 78 -12
– at constant currency rates       -4

Key figures at a glance (in € millions)
SAP Group

  2Q 2002 2Q 2001 Change % Change
Revenues 1,778 1,853 -75 -4
License revenues 496 646 -150 -23
Income before taxes -107 264 -371 -140
Net income -232 116 -348 -300
Headcount
(June 30)
29,354 26,774 2,580 10

Any statements contained in this document that are not historical facts are forward-looking statements as defined in the U.S. Private Securities Litigation Reform Act of 1995. Words such as “believe,” “estimate,” “intend,” “may,” “will,” “expect,” and “project” and similar expressions as they relate to the Company are intended to identify such forward-looking statements. The Company undertakes no obligation to publicly update or revise any forward-looking statements. All forward-looking statements are subject to various risks and uncertainties that could cause actual results to differ materially from expectations. The factors that could affect the Company’s future financial results are discussed more fully in the Company’s filings with the U.S. Securities and Exchange Commission (the “SEC”), including the Company’s Annual Report on Form 20-F for 2000 filed with the SEC on March 28, 2001. Readers are cautioned not to place undue reliance on these forward-looking statements, which speak only as of their dates.

Tags: