O Centro de Competência de Acessibilidade da SAP (ACC) lidera iniciativa de pleno acesso às Tecnologias de Informação

March 19, 2003 by SAP News 0

2003 é o Ano Europeu das Pessoas com Deficiências, e a SAP está apostada em contribuir para a acessibilidade universal das novas tecnologias

LisboaA SAP, o fornecedor líder de soluções de software empresarial, anuncia que está empenhada na iniciativa para a acessibilidade universal, a partir do seu Centro de Competência de Acessibilidade (ACC), situado em Palo Alto (EUA). Este Centro foi fundado em 2001, com o fim de resolver os problemas de acessibilidade que os produtos da SAP (software, websites e documentação) pudessem colocar às pessoas com deficiências.

O objectivo do ACC da SAP passa por responder de forma activa ao compromisso global da SAP de fornecer produtos e serviços que sejam acessíveis a todos os utilizadores. Por outro lado, e graças ao trabalho do Centro de Competência de Acessibilidade da SAP, as futuras aplicações do mySAP Business Suite vão sair dos laboratórios, já endereçando as mais exigentes normas de acessibilidade. Actualmente, as soluções SAP R/3 Enterprise e Enterprise Buyer 3.5, disponíveis no mercado, já cumprem todos estes requisitos.

A Organização Mundial de Saúde assinala nos seus relatórios que existem, actualmente, entre 500 a 750 milhões de deficientes em todo o mundo. Na Europa, apenas 11% dos deficientes navegam habitualmente na Internet, mas espera-se que a contribuição rumo à acessibilidade universal permita a integração deste numeroso grupo no mundo das tecnologias de informação. A medicina define a deficiência como sendo o défice que uma pessoa pode sentir, no momento de realizar, de uma forma “normal”, uma actividade física, mental ou cognitiva. Para os programadores de soluções de software é mais útil pensar na deficiência como uma falha na concepção da aplicação, que impede um indivíduo de desenvolver as suas normais actividades, tanto na sua vida quotidiana como no seu posto trabalho.

Empresas líderes no âmbito tecnológico, como a IBM, Microsoft, Sun Microsystem, Apple ou SAP estão a trabalhar neste campo, com o claro objectivo de desenvolver soluções de software e aparelhos de hardware que permitam o acesso à tecnologia aos profissionais com algum tipo de incapacidade, de modo a que possam aceder à informação, completar transacções de forma satisfatória e interagir com portais e webs. Em consequência, é fomentado o desenvolvimento de métodos de entrada e saída, como por exemplo, ecrãs tácteis, ratos invertidos, teclado ou teclas quentes ou sistemas de leitura dos ecrãs, dispositivos de saída em braille e capturadores de texto, entre outros.

Em Dezembro de 1996, os estados da União Europeia ratificaram a “Equality of Opportunity for People with Disabilities, a New European Community Disability Strategy”. Esta resolução serve para identificar os objectivos comuns dos estados membros e determinar os processos na criação de novas leis que assegurem a completa participação das pessoas deficientes em todos os aspectos da vida. 2003 é o Ano Europeu das Pessoas com Deficiências e prevê-se que serão levadas a cabo acções de grande envergadura neste sentido. A Web Accessibility Initiative (WAI), por exemplo, é uma iniciativa que pretende que todas as webs públicas permitam o acesso às pessoas com deficiências. Actualmente, a acessibilidade também começa a ser um imperativo no sector privado.

A avaliação de dispositivos tiflotecnológicos e do software da SAP são as duas metas claras da ACC. A verificação da interacção entre o software da SAP e este tipo de dispositivos, estabelece vínculos entre os fabricantes de dispositivos e a SAP, e a comprovação junto dos clientes finais do correcto funcionamento desses dispositivos são algumas das fórmulas com que o centro procura conseguir os objectivos finais.

A SAP tem colaborado, neste campo, com clientes e parceiros de todo o mundo. O fórum de debate que apoia, juntamente com a Yahoo, em que analistas e peritos da indústria das tecnologias partilham informações, ideias e experiências nas áreas de “usabilidade” e acessibilidade, é disso um bom exemplo. A SAP também colabora no patrocínio de programas com universidades, organizações e instituições que se tenham comprometido com software acessível, apoiando as suas iniciativas a partir dos progressos alcançados no ACC.

Para a SAP, permitir que as pessoas com algum tipo de deficiência possam aceder às suas soluções é muito importante, bem como a consciencialização interna dos próprios trabalhadores da empresa. Por isso mesmo, a SAP comprometeu-se, com os seus empregados e parceiros, a dotar com as ferramentas necessárias, guias, informação e formação sobre como desenvolver software que satisfaça as exigências de WCAG 1.0.