Receitas da SAP Portugal crescem em 2002 para 48,630 milhões de euros

April 2, 2003 by SAP News 0

A SAP Portugal ganha quota de mercado e cresce 4%, uma percentagem superior à do crescimento do mercado de software e do mercado global de TIs que, segundo dados da IDC, decresceu 4,9% em 2002;
O segmento de mercado com maior nível de crescimento foi o Sector Público, representando 20% nas receitas de licenças da SAP Portugal em 2002.

Lisboa– A SAP anuncia que as vendas da sua operação em Portugal, durante o ano de 2002, foram de 48,630 milhões de euros, representando um aumento de 4% face aos 46,755 milhões de euros alcançados em 2001. Em 2002, a empresa não só manteve a sua estrutura de recursos humanos intacta, como ainda cresceu ligeiramente o número de empregados, que passou de 128 para 133 pessoas. Situação esta que foi fundamental para o aumento da satisfação dos clientes e que contribuiu fortemente para os bons resultados obtidos.

As receitas geradas pela venda de produtos, incluindo licenças e manutenção, foram de 35,853 milhões de euros observando-se um crescimento de 5,3% relativamente ao ano de 2001, em que os valores foram de 34,061 milhões de euros. As Receitas de Serviços registaram 10,767 milhões de euros, um decréscimo de 2,7% relativamente aos 11,068 milhões de euros alcançados em 2001.

O resultado operacional de 2002 atingiu o valor de 9.127 milhões de euros, quando em 2001 se tinha fixado em 9.514 milhões de euros.

Estes resultados, que a SAP considera muito positivos num ano muito difícil, derivam principalmente do fornecimento da plataforma mySAP Business Suite, que representou a totalidade dos novos contratos celebrados pela SAP Portugal. Relativamente ao desempenho das soluções da SAP no sector Público, a empresa reforçou a sua tendência de crescimento já observada em 2001 neste segmento. Em 2002, este segmento representou 20% das receitas de licenças da empresa, tendo ainda duplicado a sua facturação face ao valor registado no ano transacto.

Joaquim Jesus Santos, director-geral da SAP Portugal, declarou: “A nossa empresa está totalmente orientada para a satisfação do Cliente e está a trabalhar para que estes maximizem o retorno dos investimentos efectuados. Este esforço foi recompensado em diversas vertentes, primeiro, pelo crescimento das nossas receitas a um ritmo superior à taxa de crescimento do sector e, segundo, pelo aumento de 5% da nossa quota de mercado a nível nacional”.

E, acrescentou “No período em análise, a SAP reforçou fortemente a sua presença na base instalada, cujas receitas representaram 75% da facturação total da empresa. Tal facto assenta no elevado grau de confiança depositado pelos clientes quer na SAP quer nas suas soluções como aquelas que melhor respondem aos requisitos do mercado. Pode, pois, afirmar-se que a estratégia de expansão e evolução na base instalada atingiu os resultados esperados”.

A solução mySAP Business Suite continua a ser a plataforma estrela da empresa, comprovada pela aceitação por parte das empresas nacionais que durante 2002 decidiram optar, pela primeira vez, pela oferta da SAP. Do conjunto de novos contratos, destacam-se: AENOR, Grupo Banco Espírito Santo (BES), Brisa, Câmara Municipal de Sintra, Câmara Municipal de Tomar, DIFEL, Direcção Geral de Viação (DGV), Drink-In, Instituto Nacional de Propriedade Industrial, KPMG, M Dados, Resiquímica e Sovena, entre outros.

Durante o período em análise, a empresa conseguiu manter a confiança dos seus actuais clientes, que continuaram a integrar a sua plataforma mySAP Business Suite, continuando a considerar esta plataforma e a sua vasta gama de soluções de software incluídas, como as aplicações de gestão do relacionamento com os clientes (CRM), gestão da cadeia de aprovisionamento (SCM), gestão das relações com fornecedores (SRM), gestão do ciclo de vida dos produtos (PLM), as ferramentas de Business Intelligence e os portais empresariais. Soluções estas que permitem uma total integração dos processos de negócio, internos e externos à empresa, e uma redução considerável dos custos de propriedade em tecnologia. Entre as empresas que optaram por renovar as suas apostas estratégicas pelas soluções da SAP estão, entre outras, a EDIA (Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva), Galp eNova do Grupo Galpenergia, Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, Lojas Francas de Portugal, Metropolitano, NovaDelta, Portgás e Vodafone Telecel.

Objectivos para 2003

Para 2003, a SAP tem como objectivo continuar a crescer e para tal pretende basear-se em quatro mercados considerados como estratégicos: base instalada, através do portfólio cada vez mais abrangente das suas soluções; mercado da administração pública, no qual os projectos de integração dos sistemas de back-office são fundamentais para os projectos de compras electrónicas do estado e do portal do cidadão; mercado da banca que vai dar início a um período de revisão dos seus sistemas de informação derivados dos requisitos de Basileia e IAS e mercado das PMEs.

O mercado das pequenas e médias empresas (PMEs) é parte integrante da estratégia e visão da SAP Portugal, com a implementação da sua estratégia Smart Business Solutions. No âmbito desta nova estratégia, a SAP vai proceder ao recrutamento de novos parceiros para o canal de venda indirecta, bem como ao lançamento da nova oferta de produtos desenvolvidos especificamente para este mercado: mySAP All-in-One e SAP Business One – o novo produto desenhado para as pequenas empresas, com processos de negócio de menor complexidade e cuja versão portuguesa estará disponível no final do Verão.

Actualmente, 70% das cerca de 800 entidades utilizadoras das soluções SAP em Portugal pertencem ao segmento que a SAP define como mercado de venda indirecta. O objectivo da SAP a nível global em 2005, bem como em Portugal, é para que este segmento passe a representar 20% da facturação global da SAP Portugal.

Por outro lado, a SAP irá manter a sua total orientação para o Cliente, adaptando permanentemente a sua oferta de soluções, com o compromisso de as ajudar a minimizar o custo total de propriedade (TCO) em Tecnologias de Informação, maximizando o Retorno do seu Investimento (ROI).

Durante 2003, a SAP estará focalizada em reforçar a sua posição como Fornecedor de Soluções líder do mercado, mantendo o seu compromisso com a qualidade das soluções e implementações, em conjunto com os seus parceiros de negócio. Para tal, a área de consultoria associada à nova oferta de ferramentas de formação, permitirá assegurar aos clientes uma maior rentabilidade dos seus projectos.

A empresa continuará a desenvolver a sua linha de produtos através da plataforma de integração SAP NetWeaver, que constitui a base tecnológica do conjunto de aplicações incluídas no mySAP Business Suite. Continuará igualmente a apostar nas novas soluções xApps (cross apllications) e na expansão da vasta gama de soluções para os mercados verticais, actualmente constituída por 23 soluções.

Tags: