Resultados Operacionais da SAP no Primeiro Trimestre de 2003 crescem 60%

April 22, 2003 by SAP News 0

SAP continua a ganhar quota de mercado
Desempenho nos Estados Unidos foi muito positivo

LisboaA SAP AG anunciou na passada quinta feira os seus resultados financeiros preliminares para o Primeiro Trimestre de 2003, que terminou a 31 de Março.

Desempenho Operacional

No Primeiro Trimestre de 2003, os Resultados Operacionais cresceram 60%, para €298 milhões, face aos €186 milhões registados no Primeiro Trimestre de 2002. Os Resultados Operacionais “pro forma”, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, aumentaram 28%, para €304 milhões, contra os €238 milhões do ano passado. A margem operativa relativa ao Primeiro Trimestre evoluiu nove pontos percentuais, para 20%, comparada com igual período do ano passado. A Margem Operativa “pro forma”, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, cresceu seis pontos percentuais, para 20%.

As Receitas de Software no Primeiro Trimestre foram de €352 milhões (€402 milhões em 2002), menos de 12% do que no ano anterior, ainda que, se considerássemos uma taxa constante de conversão de divisas, as Receitas de Software pudessem ter descido apenas 4%. Tendo por base as Receitas de Software, a empresa conquistou uma quota de mercado adicional neste período, que actualmente ronda os 54% a nível mundial (considerando a SAP e as cinco empresas mencionadas na nota de Rodapé 2), enquanto no final do último trimestre de 2002 a quota de mercado situou-se nos 51%.

As Receitas Totais relativas ao Primeiro Trimestre de 2003 desceram 8%, para €1.5 mil milhões (€1.7 mil milhões em 2002). A uma taxa constante de conversão de divisas, no entanto, as Receitas Totais aumentaram 1% face a igual período do ano passado. As Receitas de Produto, que incluem as Receitas de Software e as Receitas de Manutenção, situaram-se nos €960 milhões (€999 milhões em 2002). As Receitas de Manutenção cifraram-se em €608 milhões (contra €597 milhões). As receitas de Consultoria e de Formação foram de €476 milhões (€539 milhões em 2002) e de €77 milhões (€110 milhões em 2002), respectivamente.

“O facto de continuarmos a ganhar quota de mercado, especialmente no terreno dos nossos competidores, indica-me que o mercado favorece o modelo de negócio da SAP: mostrar, através de acções, ser um verdadeiro líder, entregando produtos de que os clientes realmente precisam e garantindo confiança e integridade”, disse Hasso Plattner, co-presidente e CEO da SAP. “Os nossos resultados neste trimestre demonstram que a nossa estratégia está a funcionar e que estamos bem posicionados para capitalizar quando se der a retoma económica”, continua.

Os Ganhos antes de Interesses, Taxas, Depreciação e Amortização (EBITDA), no Primeiro Trimestre de 2003, situaram-se nos €348 milhões (contra €240 milhões em 2002).

Os Resultados Líquidos para o Primeiro Trimestre de 2003 atingiram os €186 milhões (€65 milhões em 2002) e os Ganhos por Acção (Earnings per Share) cifraram-se em €0.60 (€0.21 em 2002), o que representa um crescimento de 186%. Os Resultados Líquidos “pró forma”, excluindo os custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, foram de €200 milhões (€109 milhões em 2002), e os Ganhos por Acção (Earnings per Share) fixaram-se em €0.64 (€0.35 em 2002), o que representa um aumento de 83%.

Neste período em análise, a empresa gerou €756 milhões de cash flow “livre” (definido como cash flow operacional menos as despesas de capital, que foram de €37 milhões no Primeiro Trimestre), sendo que a 31 de Março de 2003, a empresa tinha €1.9 mil milhões de Activos Líquidos.

Entretanto, a empresa readquiriu acções próprias no valor de €71 milhões. Ao abrigo de uma proposta agendada para a Reunião Anual de Accionistas (AGM), que terá lugar em Maio de 2003, a empresa continua a aguardar aprovação para prosseguir o seu programa de recompra de acções, aprovado na Reunião Anual de 2002. Como no passado, a SAP vai conduzir esta operação de recompra dentro da legislação e regulamentos em vigor, tendo especial cuidado para não provocar qualquer impacto sobre o valor das acções, como previsto nas leis alemãs.

A 31 de Março de 2003, a empresa dava emprego a tempo inteiro a 28,654 empregados, o que representa uma quebra de 143 funcionários desde 31 de Dezembro de 2002.

Desempenho Regional

No Primeiro Trimestre de 2003, as Receitas na região que compreende a Europa, Médio Oriente e África (EMEA) decresceram 4%, para €854 milhões (€886 milhões em 2002), tendo diminuído 3% na Alemanha. Apesar das preocupações relativas ao pouco animador contexto económico na Europa, a empresa continua a apostar fortemente na região e na sua rentabilidade. As Receitas na região das Américas desceram 20%, para €468 milhões (€587 milhões em 2002), ainda que, se considerássemos uma taxa constante de conversão de divisas, as Receitas nesta região pudessem ter subido 1%. Apesar das receitas terem descido, a SAP continua a ter melhor desempenho neste mercado que os seus competidores, especialmente nos Estados Unidos, onde a SAP, com Receitas de Software de $76 milhões ($71 milhões em 2002), continua a se afirmar como o principal fornecedor de software empresarial. Na região Ásia-Pacífico (APA) assistiu-se a um crescimento de 7% nas Receitas, para €198 milhões (€185 milhões no ano anterior). Se considerássemos uma taxa constante de conversão de divisas, as Receitas nesta região podiam ter subido 20%, suportadas pelo forte desempenho do Japão, onde as Receitas cresceram 37%, a uma taxa constante (a procura de soluções de ERP continua aqui em alta).

“As presentes condições económicas e geopolíticas causaram alguma incerteza e insegurança no mercado, mas a SAP continua portar-se à altura, com a América do Norte e a Ásia-Pacífico a apresentarem resultados particularmente impressionantes no Primeiro Trimestre”, disse Henning Kagermann, co-presidente e CEO da SAP. “A nossa prioridade é a conquista de quota de mercado, e os nossos resultados demonstram o nosso sucesso neste particular. Estamos a trabalhar arduamente para aumentar as eficiências e investir em áreas críticas do nosso negócio, como é necessário para continuar a liderar a inovação no nosso sector”, conclui.

Receitas de Software por Solução

As Receitas de Software relacionadas com o mySAP CRM (Customer Relationship Management) alcançaram, aproximadamente, €74 milhões (o mesmo valor em relação a 2002, €74 milhões), e representaram 21% do total de vendas de software. Por outro lado, as Receitas que dizem respeito ao mySAP SCM (Supply Chain Management) totalizaram cerca de €83 milhões (5% acima dos €79 milhões do ano anterior), e representaram 24% do total de vendas de software Estes valores incluem as receitas de contratos para soluções específicas, bem como os encaixes resultantes de contratos para soluções integradas.

Perspectivas

Apesar da economia mundial estar a atravessar um período difícil e de o ambiente geopolítico ser imprevisível, a SAP não alterou as suas linhas de orientação para 2003. A empresa espera continuar a ganhar quota de mercado. Tendo por base uma expectativa conservadora de crescimento moderado das suas receitas e de continuidade da política de contenção de custos e de manutenção dos padrões de aquisição por parte dos clientes, e considerando também a sazonalidade normal deste tipo de negócio, a empresa continua a esperar que as margens operacionais “pro forma”, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, melhorem pelo menos um ponto percentual em relação a 2002. Os Ganhos por Acção “pro forma” para 2003, antes dos custos relacionados com os programas de compensação accionista e com as aquisições, devem situar-se entre os €3.45 e os €3.60 por acção.

Destaques do Primeiro Trimestre

  • Os maiores contratos assinados neste período incluem a Computer Science Corp, Conoco Phillips e Hasbro, na região das Américas; a Novartis, British Council e a Volvo na EMEA; e a CitiPower, Shanghai Pudong Development Bank e Daewoo Shipbuilding na APA.
  • A SAP anunciou o lançamento do SAP NetWeaver, que representa o próximo passo evolutivo em matéria de plataforma de integração e aplicacional. A SAP eleva a tecnologia a novos padrões ao conceber o SAP NetWeaver de modo a ser inteiramente inter-operacional com o Microsoft .NET e o IBM WebSphere (J2EE). A nova plataforma permite às organizações integrar pessoas, informação e processos de negócio, independentemente das tecnologias e das organizações.
  • A SAP apresentou a Enterprise Services Architecture (ESA), base para todas as soluções de negócio completas, orientada para os serviços, e que permite às empresas retirar valor adicional dos investimentos existentes em tecnologia, permitindo, pela primeira vez, o recurso em escala empresarial aos Web services. Sempre na vanguarda, todas as soluções SAP vão ser desenvolvidas com base no ESA, e espera-se que estabeleçam novos padrões em termos de usabilidade, escalabilidade, adaptabilidade e extensibilidade.
  • Hasso Plattner expressou recentemente a sua intenção de ser eleito para o SAP Supervisory Board, na Reunião Geral Anual de Accionistas da SAP AG, a realizar a 9 de Maio de 2003. Numa primeira fase, os accionistas vão ter a hipótese de o escolher como um dos representantes dos accionistas. Na sequência dessa eleição, Plattner vai então procurar assegurar a Presidência do Supervisory Board da SAP AG. Caso este cenário se concretize, Henning Kagermann vai tornar-se no único CEO da SAP AG.

Notas de Rodapé

  1. Este press release revela certas medidas financeiras, como o EBITDA, cash flow livre, receitas operacionais pro forma, resultados líquidos pro forma e EPS pro forma, que são considerados dados não-GAAP. Os dados não-GAAP incluídos neste press release foram ajustados aos padrões GAAP mais próximos, como é agora obrigatório ao abrigo das novas regras SEC.
  2. A quota de mercado mundial baseia-se nas receitas de software, em dólares, da i2 Technologies, Inc., J.D. Edwards & Company, Oracle Corporation, Peoplesoft, Inc. e Siebel Systems, Inc., que a SAP considera serem os seus maiores competidores (em relação aos fornecedores que ainda não anunciaram os seus resultados, foram utilizadas estimativas de analistas).
  3. A quota de mercado dos Estados Unidos baseia-se nas receitas de software, em dólares, da i2 Technologies, Inc., J.D. Edwards & Company, Oracle Corporation, Peoplesoft, Inc. e Siebel Systems, Inc., que a SAP considera serem os seus maiores (em relação aos fornecedores que ainda não anunciaram os seus resultados, foram utilizadas estimativas de analistas e estimativas gerais).

Revenue by Region (in € millions)
SAP Group

  Revenue 1Q 2003 Revenue 1Q 2002 Change % Change
Total 1,520 1,658 -138 -8%
– at constant currency rates       +1%
EMEA 854 886 -32 -4%
– at constant currency rates       -3%
Asia Pacific 198 185 +13 +7%
– at constant currency rates       +20%
Americas 468 587 -119 -20%
– at constant currency rates       +1%

Key figures at a glance (in € millions)
SAP Group

  1Q 2003 1Q 2002 Change % Change
Revenues 1,520 1,658 -138 -8%
License revenues 352 402 -50 -12%
Income before taxes 311 127 +184 +145%
Net income 186 65 +121 +186%
Headcount, in FTE
(March 31)
28,654 29,156 -502 -2%

Tags: