SAP Portugal cresce 17% em 2004

March 8, 2005 by SAP News 0

A SAP Portugal consolida a sua presença no sector público nacional, tendo este segmento representado cerca de 30% das receitas de licenças da empresa.
A empresa alcançou no ano passado cerca de 88 novos Clientes no segmento das PME, tendo quadruplicado o número de novos clientes face ao ano anterior.

LisboaA SAP anuncia que as receitas da sua operação em Portugal, durante o ano de 2004, foram de 55,9 milhões de euros, representando um aumento de 16,6% face ao alcançado em 2003. Em 2004, a empresa registou um aumento dos resultados operacionais na ordem dos 13,1%. O crescimento do valor das receitas da SAP Portugal foi sustentado pelo crescimento da sua estrutura de recursos humanos que aumentou de 133 para 148 colaboradores.

As receitas geradas pela venda de produtos, incluindo licenças de software e manutenção, foram de 40,6 milhões de euros, observando-se um crescimento de 9,6% comparativamente aos valores de 37 milhões de euros do ano de 2003. As receitas de serviços, incluindo consultoria e formação, registaram valores de 14,9 milhões de euros, face aos 10,4 milhões euros alcançados em 2003. Quanto aos resultados operacionais de 2004, a SAP obteve o valor de 11,8 milhões de euros, quando em 2003 se tinha fixado em 10,4 milhões de euros.

No que toca a novas vendas na base de clientes SAP, que representaram cerca de 58% das receitas totais de software, a Colep, CUF, Lusotufo, Neoplástica, Optimus, RAR, Secil, Selenis, Somague, Sonae Imobiliária, Sonae Indústria e Unicre foram, entre outros, os clientes que voltaram a reforçar a sua aposta nas soluções da SAP.

Entre as empresas que celebraram, pela primeira vez, contrato com a SAP para utilização das suas soluções estão, entre outras, a Administração do Porto de Sines, Cervejas da Madeira, Educa, Grupo Pestana, Hospital Amadora Sintra, Instituto de Informática, ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade, Lusomedicamenta, Polícia Judiciária, Quinta & Vineyard Bottlers, S.G.A.L. – Sociedade Gestora da Alta de Lisboa, SGC Telecom, Sogenave e a Teixeira Duarte.

Relativamente à operação do canal de venda indirecta (PME), a SAP Portugal está bastante satisfeita com os resultados alcançados, tendo quadruplicado o número de novos clientes neste segmento de mercado. Entre os 88 novos clientes SAP, vindos do canal de venda indirecta, destacam-se as empresas: abnsouza; Grupo Emporgás; Farma APS; Generis; IberData – Equipamentos; Insulac, Produtos Lácteos Açoreanos; Lourinho – Conservas de Carne; Moisés & Jesus; Profarin; Remidetec; Salmon & Cª; SOFAL; STI – Sistemas e Técnicas Industriais; VNR – Comércio de Equipamentos Industriais; entre outras.

Ainda no que ao canal de distribuição para as PME diz respeito, durante 2004, a SAP Portugal celebrou novas parcerias com dez empresas nacionais: Algardata, CDP SI, CPIfo, EGAPI, ESTEC, Eugénio Branco, INSA, Iwaytrade, Lusodata e TrendGlobal. Em 2004, a SAP passou a dispor de um canal de venda indirecta, das soluções para as PME, constituído na sua totalidade por 23 parceiros.

No ano em análise, a empresa superou o crescimento das receitas totais projectado no início do ano – que era um crescimento de 10% -, assim como viu atingir em quase todos os mercados estratégicos os objectivos delineados para 2004:

  • No sector da administração pública, a SAP Portugal fortaleceu a sua presença e alcançou receitas de licenças que representaram aproximadamente 1/3 da sua facturação total de software.
  • Na base instalada de clientes, outro vector de crescimento para a empresa, a SAP registou o aumento do nível de satisfação dos seus clientes, em 9 pontos percentuais, assim como observou a manutenção da confiança dos mesmos, com o reforço das suas apostas na vasta gama de soluções de software, como as aplicações de CRM, SCM, Business Intelligence e Portais Empresariais.
  • Como terceiro vector para a sustentação do crescimento da SAP em Portugal, as vendas para o segmento das PME, que contribuíram com 10% do valor total das receitas de licenças, representaram o melhor desempenho alguma vez experimentado pela subsidiária nacional neste segmento.

Quanto ao desempenho da empresa no que diz respeito à plataforma de integração e aplicacional, SAP NetWeaver, lançada em 2003, a SAP congratula-se de ter conquistado nove organizações referência por utilização desta plataforma de integração. As primeiras empresas em Portugal que estão a utilizar o SAP NetWeaver são: AdP (Águas de Portugal), AIP (Associação Industrial Portuguesa), Barbosa & Almeida, Central de Cervejas, Grupo JABA, Grupo Jerónimo Martins, Optimus, Refer e Unicer. Este resultado ultrapassou o objectivo, inicialmente traçado, de 7 referências nacionais, tal como aconteceu a nível mundial em que a SAP ultrapassou o objectivo de 1.500 referências, com a obtenção de 2.200 referências. Comprovando a importância desta plataforma para a estratégia da empresa, a SAP durante o ano de 2004 celebrou três novas parcerias, com a Case.Edinfor, Link e Safira, para uma maior implantação do SAP NetWeaver em Portugal.

Ainda relativamente ao desempenho das soluções estratégicas, nomeadamente a solução de mySAP CRM, a SAP registou, no ano de 2004, a consolidação da sua solução no mercado nacional, tendo as vendas de licenças em CRM representado 16% do total de vendas de software. A nível mundial, a SAP mantém a sua liderança, desde 2003, no mercado de CRM.

Joaquim Jesus Santos, Director-Geral da SAP Portugal, declara que “os objectivos da SAP em Portugal foram atingidos e em algumas áreas de negócio bem superados. Estamos convictos que o nosso sucesso se baseou na total orientação para o cliente, na tecnologia de ponta e na capacidade de execução que assegurámos”. O mesmo responsável acrescenta ainda que “a melhoria do nosso desempenho tem como resultado Clientes cada vez mais satisfeitos, Colaboradores empenhados e Parceiros comprometidos, que investem e procuram novas oportunidades de negócio”.

Objectivos para 2005

Em 2005, a SAP estima crescer as suas receitas de produto a um ritmo de 4%, pois estamos convictos que a conjuntura económica em Portugal será caracterizada por grandes dificuldades no que diz respeito aos investimentos em TI por parte de todos os sectores em geral, especialmente no 1º semestre, enquanto não houver estabilidade governativa. A SAP Portugal conta também crescer a sua estrutura de recursos humanos em cerca de 20 novos colaboradores, atingindo o número de 168 empregados em Portugal, até ao final de 2005.

A SAP pretende continuar a ganhar quota de mercado, por isso continuaremos a trabalhar em clientes e potenciais clientes orientados para a redução da complexidade e para a homogeneização das plataformas de TI, e em cenários em que a redução do custo total de propriedade (TCO) e da manutenção em tecnologias de informação se assumem como uma prioridade. Através da plataforma SAP NetWeaver, a SAP estima uma redução de 20% a 30% do TCO no prazo de 2 a 3 anos. Assim, em prol do lançamento de projectos de inovação e da redução dos ciclos de mudança, a plataforma estratégica, SAP NetWeaver, manter-se-á como uma das nossas principais apostas.

Em linha com o nosso compromisso de inovação, a SAP vai promover fortemente no mercado nacional as suas soluções para as novas áreas, tais como mobilidade, RFID (Identificação por Rádio Frequência) e SOA (Services Oriented Architectures), assim como vai reforçar a divulgação das soluções que permitem o cumprimento das novas regulamentações, surgidas nos mais diversos sectores de actividade, nomeadamente Basileia, Protocolo de Quioto, Sarbanes & Oxley Act e Normas para a Rastreabilidade dos produtos alimentares e de bebidas.

Por último, mas não menos importante, em termos das nossas soluções, vamos reforçar a nossa aposta na nova geração de soluções mySAP ERP, na área analítica de Business Intelligence, mySAP CRM e nas soluções para as PME.

Tags: ,