SAP Portugal teve receitas de 54,5 milhões de Euros em 2005

March 23, 2006 by SAP News 0

A empresa alcançou no ano passado 91 novos Clientes no segmento das PME e oito no segmento das Grandes Organizações. Nas PME, a SAP alcança o seu melhor resultado de sempre.

LisboaA SAP anuncia que as receitas da sua operação em Portugal, durante o ano de 2005, foram de 54,5 milhões de Euros, um ligeiro decréscimo de 2,5% face aos 55,9 milhões de Euros registados no ano anterior. Em termos de estrutura de recursos humanos a SAP Portugal registou um aumento de 148 para 153 colaboradores até ao dia 31 de Dezembro de 2005.

As receitas geradas pela venda de produtos, incluindo licenças de software e manutenção, foram de 38,6 milhões de Euros, comparativamente aos valores de 40,6 milhões de Euros do ano de 2004, o que representa uma descida de 4,9%. As receitas de serviços, incluindo consultoria e formação, registaram valores de 15,6 milhões de Euros face aos 14,9 milhões de Euros alcançados em 2004, uma subida de 4,7%. Quanto aos resultados operacionais de 2005, a SAP registou o valor de 10,6 milhões de euros, quando em 2004 se tinham fixado em 11,7 milhões de euros.

No que respeita a novas vendas na base de clientes SAP, que representaram cerca de 77% das receitas totais de software, a Âmbar, a Auto-Sueco, a CP, a Espírito Santo Seguros, a Lisnave, a Portucel, a Rural Seguros, a Santa Casa da Misericórdia, a Secil, a Socitrel, a Tranquilidade e a Universidade de Coimbra foram, entre outros, os clientes que voltaram a reforçar a sua aposta nas soluções da SAP.

Entre as empresas que celebraram, pela primeira vez, contrato com a SAP para utilização das suas soluções estão, entre outras, a ControlInvest, a Cotesi, a Inatel, a Media Capital, a Ministério da Educação, a SATA e a Via Verde.

SAP cresce nas PME
Relativamente à operação do canal de venda indirecta (PME), a SAP Portugal está bastante satisfeita com os resultados alcançados, tendo conquistado 91 novos clientes neste segmento de mercado. As receitas da SAP neste sector atingiram 15% das receitas de software da empresa, revelando-se como o melhor desempenho alguma vez experimentado pela subsidiária nacional neste segmento.

Entre os 91 novos clientes SAP, vindos do canal de venda indirecta, destacam-se as empresas: Algarbrick, Bicafés, BIOVIP, BotaMinuto, Centro Hospitalar São Francisco (Leiria), Cooperfrutas, Durit, Fujifilm, Grupo Português de Saúde, HiperClima, Irilux, Moldit, Neorelva, Papel do Vouga, Pescanova, Politejo, Suavecel, Tetra Pak Tubex, Tubulos, Universidade Católica e Vítor Agostinho.

Ainda no que diz respeito ao canal de distribuição para as PME, durante 2005, a SAP Portugal celebrou novas parcerias com cinco empresas nacionais: Ábaco Consultores, Consiste, Consulgés, Hyfas e Softmaker, passando a dispor de um canal de venda indirecta, das soluções para as PME, constituído na sua totalidade por 27 parceiros.

Neste mesmo ano, a SAP lançou o SAP Partner Edge, o programa de canal dirigido à rede global de parceiros, que faz parte da sua estratégia para ampliar as aplicações de software empresarial junto das pequenas e médias empresas e que está desenhado para dar resposta à dinâmica do mercado e oferecer oportunidades iguais a parceiros de todos os tipos e dimensões.

No sector da administração pública, um dos segmentos de aposta para o crescimento da empresa e cujas receitas de licenças representaram, em 2004, aproximadamente um terço da sua facturação total de software, a SAP Portugal viu uma retracção da sua actividade derivada da constituição de um novo governo e consequente atraso na tomada de decisão e, ainda, dum abrandamento do sector no que diz respeito a novos investimentos nas Tecnologias de Informação.

Joaquim Jesus Santos, Director-Geral da SAP Portugal, declara que "apesar das contingências da economia portuguesa e do mercado das tecnologias de informação, em 2005 mantivemos o mesmo nível de facturação de 2004. A SAP reforçou fortemente a sua presença na base instalada, cujas receitas representaram 77% das receitas totais de software da empresa. Tal facto assenta no elevado grau de confiança depositado pelos clientes quer na SAP quer nas suas soluções como aquelas que melhor respondem aos requisitos do mercado."

SAP mantém forte aposta nas PME em 2006
Em 2006, o principal mercado de aposta da SAP será o das PME, que não só representará 51% do total de investimentos em tecnologias de informação, como também é onde a SAP irá assentar toda a sua estratégia para quadruplicar o número de clientes até 2010, ano em que a SAP estima equilibrar as receitas globais numa base de 45% para PME e 55% para grandes organizações.

Toda esta estratégia de expansão, que também contempla como vectores de crescimento os mercados dos serviços financeiros e da administração pública, apoiar-se-á num dos mais importantes activos da empresa, que é a sua rede de parcerias. A SAP vai privilegiar duas fórmulas de alianças: a primeira, com os parceiros que revendem as soluções SAP, enquanto conhecedores das valências e especificidades de cada sector de actividade, a segunda, com a maior promoção e apoio às alianças com ISV (Independent Software Vendors), que complementarão a oferta da SAP.

Tags: , , , , ,