SAP Revê em Alta Perspectiva Anual Com Crescimento de 35% das Receitas de Software no Segundo Trimestre de 2011

July 27, 2011 by SAP News 0

Sexto trimestre consecutivo de crescimento a dois dígitos das receitas de software e de serviços relacionados com software não-IFRS;
Resultado operacional não-IFRS a uma taxa de câmbio constante aumenta 26% dois trimestres seguidos, e melhora a margem operacional não-IFRS em 1,5%, a uma taxa de câmbio constante;
Ganhos não-IFRS por acção crescem 26% no segundo trimestre;
SAP revê em alta perspectivas para 2011.

LisboaA SAP AG anuncia hoje os seus resultados financeiros do segundo trimestre do ano, que terminou em 30 de Junho de 2011.

“É com grande satisfação que fechamos mais um bom trimestre,” afirma Werner Brandt, CFO da SAP. “A forte procura que as nossas inovações estão a receber mantêm-nos bem posicionados para alcançarmos o nosso objectivo de obter receitas anuais de 20 mil milhões de euros e uma margem operacional de 35% em meados da década e no longo prazo.”

“A nossa equipa teve um excelente desempenho no trimestre e os nossos clientes, em todas as regiões e em todos os sectores, estão a reagir muito favoravelmente às nossas propostas de valor,” nota Bill McDermott, Co-CEO da SAP. “Inovações como o SAP HANA, bem como as soluções de mobilidade e de analítica de negócio estão a fortalecer o nosso pipeline por via da necessidade das empresas em crescer e resolver os desafios de negócio específicos do seu sector. A consistência dos nossos resultados e a forma como continuamos a expandir o nosso ecosistema é a prova de que a SAP é a melhor opção para as empresas de todas as dimensões.”

“Está em curso uma mudança estrutural no mercado das tecnologias de informação (TI). As empresas estão a investir mais em software e este está tornar-se numa componente maior e mais importante do conjunto de investimentos das empresas em tecnologia. Neste contexto, estamos a registar uma forte procura das nossas soluções,” observou Jim Hagemann Snabe, Co-CEO da SAP. “Na devida altura optámos por uma estratégia focada na inovação e como consequência estamos a dar uma nova forma ao sector com as nossas soluções de mobilidade, in memory, e na nuvem. A inovação é novamente o motor do crescimento na SAP.”

Destaques do Segundo Trimestre de 2011

  Second Quarter 20111)
  IFRS Non-IFRS2)
€ million, unless
otherwise stated
Q2 2011 Q2 2010 % change Q2 2011 Q2 2010 % change % change const. curr.3)
Software revenue 802 637 26% 802 637 26% 35%
Support revenue 1.681 1.526 10% 1.689 1.526 11% 15%
Software and software-related service revenue 2.579 2.258 14% 2.587 2.258 15% 20%
Total revenue 3.300 2.894 14% 3.308 2.894 14% 20%
Total operating expenses -2.443 -2.120 15% -2.289 -2.040 12% 17%
Operating profit 857 774 11% 1.019 854 19% 26%
Operating margin (%) 26,0 26,7 -0,7pp 30,8 29,5 1,3pp 1,5pp
Profit after tax 588 491 20% 703 562 25%
Basic earnings per share (€) 0,49 0,41 20% 0,59 0,47 26%
Number of employees (FTE) 54.043 48.021 13% na na na na

1) All figures are unaudited.
2) Adjustments in the revenue line items are for the support revenue that would have been recognized had the acquired entities remained stand-alone entities but that SAP is not permitted to recognize as revenue under IFRS as a result of business combination accounting rules. Adjustments in the operating expense line items are for acquisition-related charges, share-based compensation expenses, restructuring and discontinued activities.
3) Constant currency revenue and operating profit figures are calculated by translating revenue and operating income of the current period using the average exchange rates from the previous year’s respective period instead of the current period. Constant currency period-over-period changes are calculated by comparing the current year’s non-IFRS constant currency numbers with the non-IFRS number of the previous year’s respective period.

Receitas – Segundo Trimestre 2011

  • As receitas de software IFRS foram de €802 milhões (2010: €637 milhões), um aumento de 26% (35% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas de software e de serviços relacionados com software IFRS atingiram os €2.58 mil milhões (2010: €2.26 mil milhões), o que representa um aumento de 14%. Estas receitas Não-IFRS chegaram aos €2.59 mil milhões (2010: €2.26 mil milhões), o que representa um aumento de 15% (20% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas totais IFRS foram de €3.30 mil milhões (2010: €2.89 mil milhões), um aumento de 14%. As receitas totais Não-IFRS atingiram os €3.31 mil milhões (2010: €2.89 mil milhões), um aumento de 14% (20% a uma taxa de câmbio constante).

As receitas totais Não-IFRS e as receitas de software e de serviços relacionados com software Não-IFRS para o segundo trimestre de 2011 excluem €8 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições.

Lucros – Segundo Trimestre 2011

  • Os resultados operacionais IFRS fixaram-se nos €857 milhões (2010: €774 milhões), um aumento de 11%. Os resultados operacionais Não-IFRS foram de €1.02 mil milhões (2010: €854 milhões), um aumento de 19% (26% numa taxa de câmbio constante).
  • A margem operacional IFRS foi de 26% (2010: 26,7%), o que representa um decréscimo de 0.7 pontos percentuais. A margem operacional Não-IFRS foi de 30,8% (2010: 29,5%), ou 31% a uma taxa de câmbio constante, o que representa um aumento de 1.3 pontos percentuais (1.5 pontos numa taxa de câmbio constante).
  • O lucro IFRS depois de impostos foi de €588 milhões (2010: €491 milhões), um aumento de 20%. O lucro Não-IFRS depois de impostos foi de €703 milhões (2010: €562 milhões), um aumento de 25%. Os ganhos IFRS por acção foram de €0.49 (2010: €0.41), um aumento de 20%. Os ganhos Não-IFRS por acção foram de €0.59 (2010: €0.47), um aumento de 26%. A taxa efectiva de impostos IFRS no segundo trimestre de 2011 foi de 26,9% (em 2010: 27,4%). A taxa efectiva de impostos não-IFRS no segundo trimestre de 2011 foi de 27,2% (em 2010: 26,7%).

Os resultados operacionais Não-IFRS do segundo trimestre de 2011 excluem €8 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €111 milhões de euros de custos relacionados com aquisições, €10 milhões de despesas com actividades descontinuadas, €32 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções, e €1 milhão em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €0 milhões, €65 milhões, €2 milhões, €12 milhões e €1 milhão) . Os lucros Não-IFRS depois de impostos e os ganhos Não-IFRS por acção do segundo trimestre de 2011 excluem €5 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €75 milhões de euros em custos relacionados com aquisições, €10 milhões com despesas em actividades descontinuadas, €24 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções, e €1 milhão em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €0 milhões, €49 milhões, €12 milhões, €9 milhões e €1 milhão) depois de impostos.

Destaques do Primeiro Semestre de 2011

  First Half 20111)
  IFRS Non-IFRS2)
€ million, unless
otherwise stated
1H 2011 1H 2010 % change 1H 2011 1H 2010 % change % change const. curr.3)
Software revenue 1.385 1.101 26% 1.385 1.101 26% 31%
Support revenue 3.336 2.920 14% 3.361 2.920 15% 16%
Software and software-related service revenue 4.906 4.205 17% 4.931 4.205 17% 19%
Total revenue 6.324 5.403 17% 6.349 5.403 18% 19%
Total operating expenses -4.870 -4.072 20% -4.551 -3.933 16% 17%
Operating profit 1.454 1.331 9% 1.798 1.470 22% 24%
Operating margin (%) 23,0 24,6 -1,6pp 28,3 27,2 1,1pp 1,2pp
Profit after tax 991 878 13% 1.231 1.000 23%
Basic earnings per share (€) 0,83 0,74 12% 1,04 0,84 24%
Number of employees (FTE) 54.043 48.021 13% na na na na

1) All figures are unaudited.
2) Adjustments in the revenue line items are for the support revenue that would have been recognized had the acquired entities remained stand-alone entities but that SAP is not permitted to recognize as revenue under IFRS as a result of business combination accounting rules. Adjustments in the operating expense line items are for acquisition-related charges, share-based compensation expenses, restructuring and discontinued activities.
3) Constant currency revenue and operating profit figures are calculated by translating revenue and operating income of the current period using the average exchange rates from the previous year’s respective period instead of the current period. Constant currency period-over-period changes are calculated by comparing the current year’s non-IFRS constant currency numbers with the non-IFRS number of the previous year’s respective period.

Receitas – Primeiro Semestre 2011

  • As receitas de software IFRS foram de €1.39 mil milhões (2010: €1.10 mil milhões), um aumento de 26% (31% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas de software e de serviços relacionados com software IFRS atingiram os €4.91 mil milhões (2010: €4.21 mil milhões), o que representa um aumento de 17%. Estas receitas Não-IFRS chegaram aos €4.93 mil milhões (2010: €4.21 mil milhões), o que representa um aumento de 17% (19% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas totais IFRS foram de €6.32 mil milhões (2010: €5.40 mil milhões), um aumento de 17%. As receitas totais Não-IFRS atingiram os €6.35 mil milhões (2010: €5.40 mil milhões), um aumento de 18% (19% a uma taxa de câmbio constante).

As receitas totais Não-IFRS, bem como as receitas de software e de serviços relacionados com software Não-IFRS para o primeiro semestre de 2011 excluem €25 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições (em 2010: €0 milhões).

Lucros – Primeiro Semestre 2011

  • Os resultados operacionais IFRS fixaram-se nos €1.45 mil milhões (2010: €1.33 mil milhões), um aumento de 9%. Os resultados operacionais Não-IFRS foram de €1.80 mil milhões (2010: €1.47 mil milhões), um aumento de 22% (24% numa taxa de câmbio constante).
  • A margem operacional IFRS foi de 23% (2010: 24,6%), o que representa um decréscimo de 1.6 pontos percentuais. A margem operacional Não-IFRS foi de 28,3% (2010: 27,2%), ou 28,4% a uma taxa de câmbio constante, o que representa um aumento de 1.1 pontos percentuais (1.2 pontos numa taxa de câmbio constante).
  • O lucro IFRS depois de impostos foi de €991 milhões (2010: €878 milhões), um aumento de 13%. O lucro Não-IFRS depois de impostos foi de €1.23 mil milhões (2010: €1.0 mil milhões), um aumento de 23%. Os ganhos IFRS por acção foram de €0.83 (2010: €0.74), um aumento de 12%. Os ganhos Não-IFRS por acção foram de €1.04 (2010: €0.84), um aumento de 24%.

Os resultados operacionais Não-IFRS do primeiro semestre de 2011 excluem €25 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €222 milhões de euros de custos relacionados com aquisições, €12 milhões de despesas com actividades descontinuadas, €84 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções e €1 milhão em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €0 milhões, €119 milhões, €2 milhões, €17 milhões e €1 milhão). Os resultados Não-IFRS depois de impostos e os ganhos Não-IFRS por acção do primeiro semestre de 2011 excluem €16 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €150 milhões de euros em custos relacionados com aquisições, €12 milhões com despesas em actividades descontinuadas, €61 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções, e €1 milhão em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €0 milhões, €90 milhões, €18 milhões, €13 milhões e €1 milhão) depois de impostos.

Cash Flow – Primeiro Semestre de 2011

  • O Cash Flow Operacional no primeiro semestre de 2011 ascendeu aos 2.27 mil milhões de euros (2010: 1.28 mil milhões de euros), um aumento de 77%. O “Free cash flow” foi de 2.02 mil milhões (2010: 1.16 mil milhões), um aumento de 75%. O “Free cash flow” constituiu 32% das receitas totais (2010: 21%). Em 30 de Junho de 2011, a SAP detinha 4.40 mil milhões líquidos (em 31 de Dezembro de 2010: 3.53 mil milhões), o que inclui dinheiro e equivalentes, bem como investimentos de curto prazo. Devido à evolução positiva do cash flow operacional nos primeiros seis meses de 2011, a liquidez disponível a 30 de Junho de 2011 atingia os 531 milhões de euros, em comparação com -850 milhões de euros em 31 de Dezembro de 2010.

Perspectivas e Previsões de Negócio

A SAP alterou a sua perspectiva de negócio e previsões para 2011 em relação à previsão apresentada a 28 de Abril de 2011:

  • A empresa reafirma que espera que, em todo o ano de 2011, as receitas de software e de serviços relacionados com software Não-IFRS cresçam dentro de um intervalo de 10% – 14%, numa taxa de câmbio constante (2010: €9,87 mil milhões). No entanto, actualmente a empresa espera que o crescimento se situe na parte superior desse intervalo.
  • A SAP reafirma que espera que, no ano de 2011, o lucro operacional Não-IFRS se situe entre os €4,45 e os €4,65 mil milhões a uma taxa de câmbio constante (em 2010: €4.01 mil milhões, mas agora a expectativa é que este número se situe na parte superior do intervalo, resultando no aumento da margem operacional não-IFRS entre os 0.5 e os 1.0 pontos percentuais, a uma taxa de câmbio constante (em 2010: 32%).
  • A empresa reafirma a sua previsão de uma taxa de imposto efectiva de 27.0% – 28.0% (com base no IFRS) para 2011 (2010: 22,5%), e uma taxa de imposto efectiva de 27.5% – 28.5% (não-IFRS) (2010: 27,3%).

Mais informação sobre estes resultados financeiros está disponível (em inglês) em www.sap.com/investor.

Tags: ,