SAP Anuncia Receitas Recorde de Software no Terceiro Trimestre de 2011

October 26, 2011 by SAP News 0

Lisboa

  • Sétimo trimestre consecutivo de crescimento a dois dígitos das receitas de software e de serviços relacionados com software não-IFRS;
  • Aumento de 27% no resultado operacional não-IFRS a uma taxa de câmbio constante melhora a margem operacional não-IFRS em 3%, a uma taxa de câmbio constante;
  • Ganhos não-IFRS por acção crescem 36% no terceiro trimestre;
  • Cash flow operacional para os primeiros nove meses do ano atingiu os 3 mil milhões de euros – um aumento anual de 45%;
  • Lucro operacional IFRS e margem operacional do terceiro trimestre sofrem impacto positivo da redução em 723 milhões de euros da provisão para o litígio sobre a TomorrowNow;
  • SAP reafirma as melhores perspectivas para o resultado anual de 2011.

A SAP AG anuncia hoje os resultados financeiros para o terceiro trimestre do ano, que terminou em 30 de Setembro de 2011.

“Estamos muito satisfeitos com o crescimento excepcionalmente forte das receitas, este trimestre, e com os ganhos continuados de eficiência, combinados com a nossa excelência operacional. Em consequência estamos a ter um desempenho excepcional em termos de margem operacional,” afirma Werner Brandt, CFO da SAP. “Estamos lançados para ter um ano recorde em termos de cash-flow.”

“No terceiro trimestre, as nossas receitas de software cresceram ao ritmo mais rápido na última década, o que se deve ao investimento dos clientes em software que impulsiona o seu crescimento e a inovação. As nossas soluções-chave articuladas com a nossa liderança em inovação nas áreas de mobilidade, de soluções cloud e de in-memory computing estão a criar muito valor para clientes em todos os sectores e em todas as regiões do mundo,” diz Bill McDermott, Co-CEO da SAP. “A SAP é uma empresa em forte crescimento assente numa poderosa visão do futuro.”

“O nosso excelente desempenho e os ganhos em quota de mercado mostram, claramente, que estamos a prosseguir uma estratégia ganhadora de inovação, centrada no cliente,” declara Jim Hagemann Snabe, Co-CEO da SAP. “Fazer chegar inovação ao mercado de forma gradual e integrada reduz os custos para os clientes. Desta forma, é mais fácil investir em tecnologia capaz de gerar saltos qualitativos e quantitativos na aceleração das decisões, no fortalecimento das relações com os clientes e no crescimento dos resultados. As vitórias dos nossos clientes são as nossas vitórias.”

Destaques do Terceiro Trimestre de 2011

Third Quarter 20111)
  IFRS Non-IFRS2)
€ million, unless
otherwise stated
Q3 2011 Q3 2010 % change Q3 2011 Q3 2010 % change % change const. curr.3)
Software revenue  841 656 28% 841 656 28% 32%
Support revenue 1.757 1.559 13% 1.758 1.595 10% 13%
Software and software-related service revenue 2.691 2.316 16% 2.692 2.352 14% 18%
Total revenue 3.409 3.003 14% 3.410 3.039 12% 15%
Total operating expenses -1.650 -2.287 -28% -2.279 -2.124 7% 10%
Operating profit 1.759 716 146% 1.131 915 24% 27%
Operating margin (%) 51,6 23,8 27,8pp 33,2 30,1 3,1pp 3,0pp
Profit after tax 1.251 501 150% 860 629 37%  
Basic earnings per share (€) 1,05 0,42 150% 0,72 0,53 36%  
Number of employees (FTE) 54.589 52.921 3% na na na na
1) All figures are unaudited.
2) Adjustments in the revenue line items are for the support revenue that would have been recognized had the acquired entities remained stand-alone entities but that SAP is not permitted to recognize as revenue under IFRS as a result of business combination accounting rules. Adjustments in the operating expense line items are for acquisition-related charges, share-based compensation expenses, restructuring and discontinued activities.
3) Constant currency revenue and operating profit figures are calculated by translating revenue and operating income of the current period using the average exchange rates from the previous year’s respective period instead of the current period. Constant currency period-over-period changes are calculated by comparing the current year’s non-IFRS constant currency numbers with the non-IFRS number of the previous year’s respective period.

Receitas – Terceiro Trimestre 2011

  • As receitas de software IFRS foram de €841 milhões (2010: €656 milhões), um aumento de 28% (32% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas de software e de serviços relacionados com software IFRS atingiram os €2.69 mil milhões (2010: €2.32 mil milhões), o que representa um aumento de 16%. Estas receitas Não-IFRS chegaram aos €2.69 mil milhões (2010: €2.35 mil milhões), o que representa um aumento de 14% (18% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas totais IFRS foram de €3.41 mil milhões (2010: €3 mil milhões), um aumento de 14%. As receitas totais Não-IFRS atingiram os €3.41 mil milhões (2010: €3.04 mil milhões), um aumento de 12% (15% a uma taxa de câmbio constante).

As receitas totais Não-IFRS e as receitas de software e de serviços relacionados com software Não-IFRS para o terceiro trimestre de 2011 excluem €1 milhão em receitas de manutenção diferidas de aquisições (2010: €36 milhões).

Lucros – Terceiro Trimestre 2011

  • Os resultados operacionais IFRS fixaram-se nos €1.76 mil milhões (2010: €716 milhões), um aumento de 146%. Os resultados operacionais Não-IFRS foram de €1.13 mil milhões (2010: €915 milhões), um aumento de 24% (27% numa taxa de câmbio constante).
  • A margem operacional IFRS foi de 51,6% (2010: 23,8%), o que representa um aumento de 27.8 pontos percentuais. A margem operacional Não-IFRS foi de 33,2% (2010: 30,1%), ou 33,1% a uma taxa de câmbio constante, o que representa um aumento de 3.1 pontos percentuais (3 pontos numa taxa de câmbio constante).
  • O lucro IFRS depois de impostos foi de €1.25 mil milhões (2010: €501 milhões), um aumento de 150%. O lucro Não-IFRS depois de impostos foi de €860 milhões (2010: €629 milhões), um aumento de 37%. Os ganhos IFRS por acção foram de €1.05 (2010: €0.42), um aumento de 150%. Os ganhos Não-IFRS por acção foram de €0.72 (2010: €0.53), um aumento de 36%.
  • A taxa efectiva de impostos IFRS no terceiro trimestre de 2011 foi de 28,7% (em 2010: 27,3%). A taxa efectiva de impostos não-IFRS no terceiro trimestre de 2011 foi de 23,3% (em 2010: 28,5%).

Os resultados operacionais Não-IFRS do terceiro trimestre de 2011 excluem €1 milhão em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €110 milhões de custos relacionados com aquisições, €723 milhões de resultados com actividades descontinuadas, – €17 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções, e €1 milhão em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €36 milhões, €89 milhões, despesas de €45 milhões , €31 milhões e -€2 milhões) . Os lucros Não-IFRS depois de impostos e os ganhos Não-IFRS por acção do terceiro trimestre de 2011 excluem €1 milhão de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €74 milhões de euros em custos relacionados com aquisições, €454 milhões de resultados em actividades descontinuadas, – €13 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções, e €1 milhão em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €24 milhões, €64 milhões, despesas de €20 milhões, €22 milhões e -€1 milhão) depois de impostos.

Destaques dos Primeiros Nove Meses de 2011

Nine Months 20111)
  IFRS Non-IFRS2)
€ million, unless
otherwise stated
9M 2011 9M 2010 % change 9M 2011 9M 2010 % change % change const. curr.3)
Software revenue  2.226 1.757 27% 2.226 1.757 27% 31%
Support revenue 5.093 4.479 14% 5.119 4.515 13% 15%
Software and software-related service revenue 7.597 6.521 17% 7.623 6.557 16% 18%
Total revenue 9.733 8.406 16% 9.759 8.442 16% 18%
Total operating expenses -6.520 -6.359 3% -6.830 -6.057 13% 15%
Operating profit 3.213 2.047 57% 2.929 2.386 23% 25%
Operating margin (%) 33,0 24,4 8,6pp 30,0 28,3 1,7pp 1,7pp
Profit after tax 2.242 1.379 63% 2.091 1.629 28%  
Basic earnings per share (€) 1,88 1,16 62% 1,76 1,37 28%  
Number of employees (FTE) 54.589 52.921 3% na na na na
1) All figures are unaudited.
2) Adjustments in the revenue line items are for the support revenue that would have been recognized had the acquired entities remained stand-alone entities but that SAP is not permitted to recognize as revenue under IFRS as a result of business combination accounting rules. Adjustments in the operating expense line items are for acquisition-related charges, share-based compensation expenses, restructuring and discontinued activities.
3) Constant currency revenue and operating profit figures are calculated by translating revenue and operating income of the current period using the average exchange rates from the previous year’s respective period instead of the current period. Constant currency period-over-period changes are calculated by comparing the current year’s non-IFRS constant currency numbers with the non-IFRS number of the previous year’s respective period.

Receitas – Nove Meses de 2011

  • As receitas de software IFRS foram de €2.23 mil milhões (2010: €1.76 mil milhões), um aumento de 27% (31% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas de software e de serviços relacionados com software IFRS atingiram os €7.60 mil milhões (2010: €6.52 mil milhões), o que representa um aumento de 17%. Estas receitas Não-IFRS chegaram aos €7.62 mil milhões (2010: €6.56 mil milhões), o que representa um aumento de 16% (18% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas totais IFRS foram de €9.73 mil milhões (2010: €8.41 mil milhões), um aumento de 16%. As receitas totais Não-IFRS atingiram os €9.76 mil milhões (2010: €8.44 mil milhões), um aumento de 16% (18% a uma taxa de câmbio constante).

As receitas totais Não-IFRS, bem como as receitas de software e de serviços relacionados com software Não-IFRS para os primeiros nove meses de 2011 excluem €26 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições (em 2010: €36 milhões).

Lucros – Nove Meses de 2011

  • Os resultados operacionais IFRS fixaram-se nos €3.21 mil milhões (2010: €2.05 mil milhões), um aumento de 57%. Os resultados operacionais Não-IFRS foram de €2.93 mil milhões (2010: €2.39 mil milhões), um aumento de 23% (25% numa taxa de câmbio constante).
  • A margem operacional IFRS foi de 33% (2010: 24,4%), o que representa um aumento de 8.6 pontos percentuais. A margem operacional Não-IFRS foi de 30% (2010: 28,3%), ou 30% a uma taxa de câmbio constante, o que representa um aumento de 1.7 pontos percentuais (1.7 pontos numa taxa de câmbio constante).
  • O lucro IFRS depois de impostos foi de €2.24 mil milhões (2010: €1.38 mil milhões), um aumento de 63%. O lucro Não-IFRS depois de impostos foi de €2.09 mil milhões (2010: €1.63 mil milhões), um aumento de 28%. Os ganhos IFRS por acção foram de €1.88 (2010: €1.16), um aumento de 62%. Os ganhos Não-IFRS por acção foram de €1.76 (2010: €1.37), um aumento de 28%.
  • A taxa efectiva de impostos IFRS nos primeiros nove meses de 2011 foi de 28,7% (em 2010: 26,9%). A taxa efectiva de impostos não-IFRS nos primeiros nove meses de 2011 foi de 26,7% (em 2010: 27,1%).

Os resultados operacionais Não-IFRS dos primeiros nove meses de 2011 excluem €26 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €333 milhões de euros de custos relacionados com aquisições, €711 milhões de resultados com actividades descontinuadas, €66 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções e €2 milhões em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €36 milhões, €152 milhões, despesas de €38 milhões, €36 milhões e €0 milhões). Os resultados Não-IFRS depois de impostos e os ganhos Não-IFRS por acção dos primeiros nove meses de 2011 excluem €17 milhões de euros em receitas de manutenção diferidas de aquisições, mais €224 milhões de euros em custos relacionados com aquisições, €442 milhões de resultados em actividades descontinuadas, €48 milhões de despesas com remunerações baseadas em acções, e €2 milhões em despesas de restruturação (em 2010: respectivamente, €24milhões, €152 milhões, despesas de €38 milhões, €36 milhões e €0 milhões) depois de impostos.

Cash Flow – Nove Meses de 2011

O cash flow operacional foi de 2.97 mil milhões de euros (2010: 2.05 mil milhões de euros), um aumento de 45%. O “free cash flow” constituiu 27% das receitas totais (2010: 22%). Em 30 de Setembro de 2011, a SAP detinha 4.93 mil milhões de liquidez (em 31 de Dezembro de 2010: 3.53 mil milhões), o que inclui dinheiro e equivalentes, bem como investimentos de curto prazo. A liquidez ”net” disponível a 30 de Setembro de 2011 atingia os mil milhões de euros, em comparação com -850 milhões de euros em 31 de Dezembro de 2010. Esta situação deve-se à evolução positiva do cash flow operacional durante os primeiros nove meses de 2011.

Devido à robusta geração de “free cash flow” nos primeiros nove meses de 2011, a empresa irá avaliar a compra de mais acções próprias no futuro. A 30 de Setembro de 2011, a SAP detinha cerca de 38 milhões de acções próprias (3,1% do total), a um preço médio aproximado de 36.05 euros. Nos primeiros nove meses deste ano, a empresa comprou 3,6 milhões de acções próprias a um preço médio de 43.84 euros (custo total: 158 milhões de euros). Estas aquisições estão relacionadas, sobretudo, com os planos de remuneração baseados em acções da SAP.

Perspectivas e Previsões de Negócio

O “pipeline” da SAP apresenta-se muito preenchido devido ao facto das empresas continuarem a investir em tecnologias de informação, em especial em soluções de software inovadoras. Face à incerteza gerada pelo cenário macroeconómico, a SAP mantêm a sua perspectiva de negócio e previsões para 2011, em relação à previsão apresentada a 26 de Julho de 2011 (excepto no caso da taxa de imposto efectiva IFRS):

  • A empresa reafirma que espera que em todo o ano de 2011, as receitas de software e de serviços relacionados com software Não-IFRS cresçam dentro de um intervalo de 10% – 14%, numa taxa de câmbio constante (2010: €9,87 mil milhões). No entanto, actualmente, a empresa espera que o crescimento se situe no nível superior deste intervalo.
  • A SAP reafirma que espera que, no ano de 2011, o lucro operacional Não-IFRS se situe entre os €4,45 e os €4,65 mil milhões a uma taxa de câmbio constante (em 2010: €4.01 mil milhões), mas agora a expectativa é que este número se situe no nível superior do intervalo, resultando no aumento da margem operacional não-IFRS entre os 0.5 e os 1.0 pontos percentuais, a uma taxa de câmbio constante (em 2010: 32%).
  • A empresa prevê uma taxa de imposto efectiva de 28.5% – 29.5% (com base no IFRS) para 2011 (2010: 22,5%), e uma taxa de imposto efectiva de 27.5% – 28.5% (não-IFRS) para 2011 (2010: 27,3%).

Mais informação sobre estes resultados financeiros está disponível (em inglês) em www.sap.com/investor.

Tags: