É Big, é Big… É Data!

6 de Fevereiro de 2015 Por SAP Blogs 0

272531_l_srgb_s_gl

Após a transformação de áreas voltadas para o cliente, tais como vendas e marketing, o Big Data começou a estender seu alcance para outras partes da empresa. Em áreas como Pesquisa e Desenvolvimento, por exemplo, analytics e Big Data vêm sendo adotados com maior abrangência e penetração.

O McKinsey Global Institute estima que a aplicação estratégica do Big Data pode gerar até US$100 bilhões anualmente em áreas como a de assistência médica nos Estados Unidos, otimizando a inovação, melhorando a eficiência da pesquisa e desenvolvendo novas ferramentas para o setor.  E essa é apenas uma parcela das possibilidades de aplicação.

Empresas de quase todos os setores da economia estão conscientes dos benefícios da tomada de decisão orientada por dados em tempo real. Estas empresas percebem o valor de uma abordagem orientada a dados, no lugar de decisões que eram baseadas apenas na experiência de um pequeno grupo de executivos.

Como a velocidade em que os dados são gerados e o volume dos mesmos crescem em uma escala inédita, uma simples análise de dados para identificar tendências importantes pode levar dias, ou até semanas em casos de métodos de análise de dados tradicionais.

É onde começa a grande revolução do Big Data, infraestrutura necessária para lidar com grandes volumes de dados em alta velocidade, provenientes de sistemas de tempo real.

O que torna essa uma tarefa ainda mais desafiadora é que os dados não vêm simplesmente de sistemas transacionais. Eles podem incluir tweets, atualizações do Facebook, sensores, músicas, vídeos, páginas da Web e claro, dados numéricos.

Imagine um futuro onde é possível:

– Realizar modelagens preditivas de processos biológicos.

– Identificar facilmente pacientes para testes clínicos através de mídias sociais (facilitando a seleção do público-alvo).

– Monitorar pesquisas e estudos em tempo real, identificando mais facilmente qualquer alteração.

– Capturar dados eletronicamente, que fluem facilmente entre funções, ao invés de utilizar dados rígidos que são difíceis de explorar.

Finalmente, a definição de dados de hoje pode ser diferente dos dados de amanhã.

Caminhando rumo à revolução do Big Data, o próximo passo da empresa seria utilizar a infraestrutura e os dados para resolver problemas de negócios específicos, prevendo demandas e utilizando dados históricos.

Efetivamente utilizar um grande volume de dados ajudará as empresas a identificar melhor novos potenciais de negócio.

Viva o Big Data!

Tags: ,

Deixe uma resposta