Soccer team in a huddle

A Internet das Coisas e a indústria de utilities

7 de Maio de 2015 Por Ivy Leça 2

Para que um negócio funcione, os processos precisam estar sempre operando de forma correta. Principalmente quando nos referimos a áreas de produção ininterrupta, como o setor de utilities, por exemplo.

O setor enfrenta desafios diários que, com a adoção da Internet das Coisas (IoT), podem ficar bem mais simples de solucionar. A IoT pode oferecer soluções que vão aumentar a segurança, garantir a agilidade necessária e ainda permitir que a indústria economize energia e recursos.

Atualmente, quando uma máquina precisa de manutenção, um tempo precioso é gasto no processo: primeiro a máquina apresenta um problema; o funcionário então tenta identificar qual é, ou pelo menos reunir informações básicas para informar aos responsáveis pela manutenção; a máquina é desligada, a ordem de reparo é feita e só então ela é consertada.

Imagine que a mesma empresa tenha investido na IoT para aprimorar seus processos. Dessa forma, as próprias máquinas enviarão informações do tipo “minha pressão do óleo está um pouco alta” ou “meu filtro está entupido, estou solicitando um técnico de serviço”, isso tudo antes mesmo de efetivamente apresentar algum problema. Além disso, caso a empresa não tenha um técnico interno disponível para aquela situação específica, automaticamente a máquina entrará em contato com um profissional devidamente qualificado para esse caso.

No mês de abril, em Berlim, a SAP realizou os eventos International SAP Conference for Oil and Gas e International SAP Conference for Utilities, com o intuito de apresentar e abrir espaço para discutir o uso das mais recentes inovações tecnológicas dentro desses setores. A revista de negócios e economia americana Forbes entrevistou Peter Maier, General Manager for Energy and Natural Resources da SAP, a respeito dos eventos.

Para Maier, a grande vantagem da IoT para a indústria de utilities é o poder de previsão. “Se você sabe que uma tempestade chegará na sexta-feira, você tem os dados de sensores para estimar o potencial de interrupções que podem afetar o cliente e pode redirecionar a equipe de manutenção para garantir que haja engenheiros de manutenção suficientes disponíveis para fazer reparos rapidamente”, exemplifica.

Combinando o poder da IoT a capacidade do Big Data, a empresa conseguirá obter previsões para minimizar interrupções e melhorar o atendimento ao cliente. A Internet das Coisas será o grande diferencial que transformará desastres avassaladores em inconvenientes gerenciáveis.

Deixe uma resposta