Soccer team in a huddle

A mudança para a Energia

28 de Abril de 2016 Por Ivy Leça 153

Por Shane Ellis

Há uma mudança exponencial ocorrendo em nossa cultura em matéria de energia. Isso se deve à aceitação do terrível impacto ambiental em longo prazo da produção de energia para o consumo de uma maneira tradicional, e abriu as portas para um modelo realístico de geração distribuída. Esse movimento está convencendo o setor de Utilities a reavaliar não apenas seu mix de energia, mas todo o modelo de negócio de integração vertical de Utility. O modelo tradicional, desenvolvido no início do século 20, não é projetado para as necessidades de Utility de hoje e certamente não está preparado para lidar com a crescente demanda. Esse modelo foi criado em meio a uma crença de que os recursos energéticos seriam quase ilimitados.

Sabemos que não é o caso, portanto o modelo é inerentemente defeituoso. Essas falhas incluem: como o setor de Utilities é gerido, como o cliente e o setor interagem e como o regulador interage com ambos. Vamos dar uma olhada minuciosa em cada área em uma série de artigos que irá ajudar a enquadrar o macro cenário, e fornecer tanto uma oportunidade para a discussão como para a solução. Primeiramente, vamos dar uma olhada na interação com o cliente e o renascimento da geração distribuída.

O desafio do Utilities será atender um cliente que está gerando eletricidade por conta própria ou seus produtos de consumo que produzem eletricidade. O desafio para ambos, Utility e cliente, será econômico, é claro, mas também de armazenamento. Do ponto de vista do cliente, a maioria já deve ter ouvido falar da Tesla Powerwall. Ela está atualmente começando a ser comercializada como uma cópia de segurança de interrupção, bem como armazenamento de energia solar para casas. A geração de energia solar não é uma produção constante de energia, e a tecnologia passada de bateria está agora fora de alcance para os consumidores. Críticos apontam para a longevidade da bateria e mencionam que é apenas uma jogada de marketing. Eu diria que a comercialização da Powerwall é realmente mais importante do que o próprio produto, criando a imagem de possibilidade de estar fora da rede e ser ambientalmente consciente. A maioria dos clientes não atenta para Utilities e vê sua interação somente através da conta que é cobrada a cada mês.

Vamos explorar mais desse assunto adiante. Mas se a Tesla Powerwall leva os consumidores um passo mais perto de não dependerem dos utilities para gerar sua energia e para que eles os percebam como algo que estão pagando mês a mês enquanto arruinam o meio ambiente, então está sendo vendida aos consumidores a possibilidade de que, ao se desconectarem dos utilities, eles podem e irão ajudar a salvar o planeta, e não apenas poupar dinheiro. Assim, podemos ver o desafio dos utilities, mas também podemos ver a possibilidade de energia limpa, ininterrupta e barata.

A bateria vai ficar melhor e mais eficiente. A tecnologia segue esse arco, e a Tesla Powerwall vai ficar melhor, mais barata, será oferecida por vários fornecedores e a concorrência irá conduzir esta evolução de armazenamento. O que resta é a capacidade de gerar energia diferente da solar para uma casa individual ou para uma comunidade de casas. Conheça a turbina eólica de cobertura, uma alternativa ou um complemento à energia solar para casas. Geração de energia quase ininterrupta é possível quando combinada com energia solar e crescentes opções de armazenamento cada vez mais eficientes. Nem energia solar, nem turbinas eólicas são uma nova tecnologia. É o que faz essas opções serem realistas, especificamente a turbina eólica. Essas tecnologias têm e continuarão a evoluir para estratégias duráveis e eficientes de geração de energia. Esse é um conforto para os consumidores que escolhem energia eólica, na medida em que entendem o princípio básico de como a energia é gerada a partir do equipamento.

Mas pesquisas têm indicado mais caminhos para enfrentar a geração neutra. De uma perspectiva de produto de consumo, novas pesquisas têm mostrado resultados positivos para dispositivos. A quantidade de RF e outras ondas voando pelo ar poderiam levar a dispositivos autocarregáveis. O aproveitamento de ondas no ar é semelhante à utilização de um desumidificador para produzir água a partir do ar. Embora isso seja em nível micro, se pensarmos no impacto exponencial de consumidores escolhendo esses caminhos de geração distribuída, pode-se ver o efeito que isso terá sobre o modelo de negócios de Utility e como o setor relaciona-se com seus clientes. É como se cada semana fosse uma nova história que mostra a inovação que está ocorrendo em nossa economia e em nosso mundo… e seu foco é a energia.

Tags: , , , ,

Deixe uma resposta