Soccer team in a huddle

10 tecnologias que serão realidade em breve

4 de Janeiro de 2017 Por Ivy Leça 102

Inteligência artificial, Realidade Virtual, Internet das Coisas, Biossensores, até algum tempo atrás pareciam apenas invenções improváveis. Mas conforme a tecnologia avança e progride, vemos cada vez mais dessas invenções se tornando realidade.

Novas ideias surgem e saem do papel na velocidade da transformação digital. Vivemos a era do Templosion, em que transformações muito grandes estão acontecendo em períodos cada vez menores de tempo.

Diante desse cenário fértil para inovações, o site Hongkiat listou as 10 principais tecnologias que têm tudo para se tornarem realidade ao longo dos próximos anos:

Propulsor a jato

Atualmente o propulsor a jato é utilizado apenas na locomoção de astronautas em atividades extra veiculares e, em terra, como um acessório de entretenimento para ações de marketing e apresentações acrobáticas. Isso porque a gravidade terrestre faz o equipamento gastar muita energia.

A Jet Pack International está fazendo avanços com o lançamento de dois jetpacks alimentados com peróxido de hidrogênio. Apesar de ainda não proporcionar um tempo de viagem em uma altura máxima muito atrativa, o produto representa um grande avanço para os jetpacks, chama atenção pela sua capacidade móvel e controlável e por ser uma opção de transporte compacta. Muito em breve você poderá ir ao trabalhado voando.

Speeder bike

Resultado de mais de 15 anos de pesquisa e desenvolvimento, o Aerofex Aero-X é um veículo que torna o voo de baixa altitude realista e acessível. Com aparência muito semelhante à motocicleta voadora de alta velocidade de Star Wars, o Aero-X pode voar a 10 metros do chão a 45 km por hora e carregar até 140kg.

Existe muito potencial de utilização para o Aero-X, entre eles o uso em patrulhas, agricultura aérea, resgates entre outros. O produto já está disponível para reserva e as chances dele se popularizar nos próximos anos é enorme.

Próteses sensíveis ao toque

Em março de 2013, um grupo de engenheiros desenvolveu um novo tipo de prótese: uma mão protética que se conecta diretamente aos nervos remanescentes na parte superior do braço.

Com isso, o usuário consegue controlar perfeitamente a prótese e sentir o toque através dela. Testes de olhos vendados demostraram que o usuário é capaz de tatear e identificar itens distintos, como uma laranja e uma garrafa, e exercer diferentes níveis de pressão.

O protótipo ainda está longe de chegar ao público, pois ainda são necessários testes para determinar a durabilidade de eletrodos que devem ser implantados diretamente no usuário, além de estudos para conseguir um processador pequeno e portátil o suficiente para ser integrado dentro do próprio implante.

Armadura do “Homem de Ferro”

Um projeto em desenvolvimento pelo Exército dos EUA deve se tornar realidade em quatro anos. TALOS (Tactical Assault Light Operator Suit) é uma armadura de combate com proteção balística, de choque e de fogo. O principal objetivo da armadura é proporcionar mais proteção, com mobilidade e versatilidade, para soldados das Operações Especiais.

O projeto segue a todo vapor: a previsão é de que protótipos não-motorizados estejam prontos em meados de 2017, e no fim de 2018 um projeto mais completo deve ser apresentado.

Obviamente a tecnologia não estará disponível para civis, mas pode significar um ponto de virada para novos projetos além do cenário militar.

Exoesqueleto

Uma equipe da Universidade da Pensilvânia está desenvolvendo o Titan Arm, um exoesqueleto que fortalece a parte superior do corpo, permitindo que o usuário levante até 18 Kg. O Titan Arm foi desenvolvido com o intuito de ajudar a reabilitar pessoas que sofreram graves lesões ou derrames, além de fornecer uma força e proteção extra para quem trabalha levantando objetos pesados.

Com técnicas de impressão 3D, o projeto conseguiu reduzir consideravelmente os custos de desenvolvimento do protótipo. A equipe ainda ganhou uma ajuda de financiamento ao vencer o Prêmio James Dyson 2013. Seguindo esse caminho, o Titan Arm pode se tornar popular dentro de alguns anos.

Super trem

A China e o Japão já contam com trens com tecnologia Maglev (levitação magnética), capazes de atingir mais de 418 Km por hora. Mas pesquisadores chineses estão aprimorando a tecnologia e desenvolvendo o “Super Maglev“. O grande diferencial é que o trem deverá transitar em um tubo de vácuo, reduzindo ainda mais a resistência do ar, permitindo atingir velocidades muito mais altas.

O projeto segue sendo estudado, mas questões como segurança dos passageiros e a viabilidade para manter os tubos pressurizados ainda estão no caminho.

Ambiente de imersão

O Cave2 pode revolucionar muitas indústrias. O projeto é um ambiente de realidade híbrido que permite ao usuário imergir em uma experiência virtual totalmente sensorial. A estrutura envolvente é composta por 72 painéis LCD, sistema de som surround, sistema de rastreamento de movimento. Com um óculos 3D cientistas, engenheiros e artistas, por exemplo, poderão vivenciar seus projetos de forma realista. Existem muitas possibilidades de aplicação para o conceito do Cave2, especialmente em situações que necessitam da visualização de grandes volumes de dados em tempo real.

Impressão 3D de alimentos

A impressão alimentícia está em pauta desde que a tecnologia de impressão 3D começou a se popularizar. Desde então, muitas empresas estão estudando essa possibilidade. O grande desafio está na matéria-prima para a impressão, e o mais recente avanço nesse sentido é o estudo de um novo material: uma gama de misturas de pó imprimível em 3D, que se solidifica quando impresso e que se derrete rapidamente quando ingerido. Um material especialmente interessante para idosos ou pacientes com incapacidade de engolir, reduzindo os riscos de asfixia. Podemos esperar novos grandes avanços na impressão 3D de alimentos.

Carregamento sem fio de alta potência

O carregamento sem fio já é uma realidade, mas ainda não é popular. O Instituto Coreano de Ciência e Tecnologia Avançada quer mudar isso, permitindo que o carregamento sem fio seja mais potente e possa ser feito à distância. O protótipo Dipole Coil Resonant System (DCRS) pode carregar dispositivos a até cerca de 4 metros de distância, utilizando um campo magnético para isso. Segundo as pesquisas, o protótipo pode carregar até 40 telefones e dispositivos maiores, como uma TV.

Ainda não existe previsão sobre quando o protótipo poderá ocupar as prateleiras, mas certamente será uma grande mudança para a forma como lidamos com nossos dispositivos móveis hoje em dia.

Bateria de carregamento rápido

Em 2015, a startup israelense StoreDot apresentou um carregador em fase de desenvolvimento que vai de 0% a 100% em menos de 3 minutos. Agora a empresa trabalha em seu novo protótipo, uma bateria que utiliza nanotecnologia e tecnologias de armazenamento de energia e promete ser totalmente carregada em apenas 30 segundos. A StoreDot usa “nanodots” bio-orgânicos que aumentam a capacitância do eletrodo e o desempenho do eletrólito.

Como a tecnologia é bio-orgânica, ela se torna mais amigável e eficientes do que outros recursos utilizados atualmente, como metais e produtos químicos perigosos. O custo também é um atrativo. Isso significa que é possível que dentro de alguns anos você possa carregar seu celular tão rápido quanto esquenta o almoço no micro-ondas.

Embora muitas dessas invenções sejam pouco mais do que protótipos e tenhamos que esperar algum tempo para vê-las nas prateleiras, já é possível ter uma imagem mais clara de como será o futuro e como poderemos nos surpreender mais e mais!

Tags: , , ,

Deixe uma resposta