Soccer team in a huddle

O espaço da mulher no mercado de tecnologia

8 de Março de 2017 Por Ivy Leça 89

Durante muito tempo as mulheres têm lutado para reivindicar seus direitos e conquistar seu espaço no mercado de trabalho. E apesar dos grandes avanços e conquistas profissionais, elas ainda encontram muitos obstáculos para desenvolver uma carreira, principalmente em áreas consideradas masculinas, como ciências e tecnologia. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas 20% dos profissionais de TI no Brasil são mulheres.

É importante notar que esses dados não refletem apenas vocação ou capacidade individual, mas uma série de outros fatores. Muitas vezes as mulheres são desmotivadas a iniciar uma carreira em áreas nas quais os homens são maioria. A carga horária mais extensa também é outro obstáculo para elas, pois muitas mulheres precisam conciliar o trabalho com suas tarefas como mãe e gestora do lar. Em média, as mulheres trabalham 7,5 horas a mais que os homens por semana, considerando as horas de trabalho remunerado e os afazeres domésticos, segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Segundo o IBGE, atualmente as mulheres ganham 76% do salário dos homens, mesmo realizando as mesmas funções; nos cargos de gerência e direção, a proporção é de 68%. Esse é um estímulo para que muitas abram mão de um emprego para priorizar a ascensão profissional do marido, que ganha mais. Apesar de representarem 43,8% dos trabalhadores brasileiros, elas ocupam apenas 37% dos cargos de direção e gerência e 10% nos comitês executivos de grandes empresas.

A igualdade de gênero deve ser vista pelas empresas além do seu fator social, por se tratar também de um elemento diferenciador estratégico. Uma equipe diversificada é fonte de inovação e proporciona uma visão mais ampla para a empresa. Criar uma cultura e um ambiente inclusivo é mostrar aos colaboradores que existem oportunidades iguais de crescimento, o que incentiva e impulsiona as equipes a fazer o seu melhor.

A SAP acredita que apoiar a diversidade e a igualdade de gênero é um dos caminhos para enriquecer os valores e a força de trabalho de um negócio, por isso desenvolve iniciativas para fomentar a atuação das mulheres no mercado. A diretoria da empresa tem o compromisso de manter 25% de suas posições de liderança preenchidas por mulheres até o final de 2017. No segundo trimestre de 2016, as mulheres já representavam 24,1% da liderança da SAP e 32,5% de toda a força de trabalho.

Em 2016, a SAP Labs Latin America foi eleita a melhor empresa para começar a carreira no Brasil, e entre os principais diferenciais se destacou o programa Business Women Network, que tem o objetivo de acelerar a carreira das mulheres na área de tecnologia da informação.

No fim de 2016, a SAP foi reconhecida pelo seu compromisso com a igualdade de gênero e se tornou a primeira empresa multinacional de tecnologia no mundo a receber o Certificado Global de Igualdade de Gênero (Economic Dividends for Gender Equality – EDGE). O certificado foi lançado no Fórum Econômico Mundial e é reconhecido pelo seu rigor e impacto nos negócios.

No site Women at SAP, a empresa apresenta diversos conteúdos voltados ao tema inclusão da mulher no mercado de tecnologia. E em Women Leaders at SAP, é possível conhecer um pouco da trajetória das mulheres líderes da SAP em mundo todo.

Na SAP, a inclusão e a igualdade de gênero são parte da missão da empresa de ajudar o mundo a funcionar melhor e melhorar a vida das pessoas.

Tags: , , , ,

Deixe uma resposta