Soccer team in a huddle

Estudo: A Transformação Digital é Focada no Como, Não no Quê

9 de Outubro de 2017 Por Timo Elliott 2

Um novo estudo sobre transformação digital da SAP, com o apoio da Oxford Economics, foi lançado hoje no evento SAP Leonardo Live em Frankfurt.

A pesquisa entrevistou mais de 3.000 executivos em 17 regiões em todo o mundo – um dos maiores estudos do gênero – e revela que 84% dos participantes dizem que a transformação digital é crucial para a sobrevivência de suas empresas nos próximos cinco anos. No entanto, apenas 3% concluíram os esforços de transformação digital em toda a empresa.

As cem maiores empresas que relatam acentuada transformação dizem que estão colhendo benefícios expressivos: 85% afirmam ter constatado aumento na participação no mercado (em comparação com 41% das demais empresas) e 80% dizem que suas iniciativas aumentaram a rentabilidade (em comparação com 53% das demais participantes). Essas cem empresas também esperam ver um crescimento da receita maior nos próximos dois anos do que as outras organizações entrevistadas.

As organizações líderes se diferem das demais de quatro maneiras:

Os líderes são focados na verdadeira transformação. 96% deles afirmam que a transformação digital é um objetivo primordial em comparação com 61% de todas as demais empresas.

Os líderes têm uma mentalidade que prioriza o “engajamento digital” em vez dos “produtos”, com maior ênfase em mudar a empresa como um todo, aprimorando as habilidades digitais e aumentando o engajamento dos colaboradores.

Isso fica evidente quando o assunto é como eles reestruturam suas empresas para a inovação: um número cinco vezes maior de líderes diz ter mudado suas operações como resultado direto da transformação digital e um número sete vezes maior aponta um impacto importante no modo como a organização trabalha com os ecossistemas de parceiros.

Os líderes priorizam a transformação das funções voltadas aos clientes. Quase todos os esforços de transformação digital tentam melhorar a experiência do cliente. Contudo, um número quase duas vezes maior de líderes cita o empoderamento do cliente com uma importante tendência global e 92% afirmam contar com estratégias e processos maduros de transformação digital para melhorar a experiência do cliente em comparação com apenas 22% de todas as demais empresas.

Os esforços dos líderes compensam: um número três vezes maior de líderes considera a transformação digital uma iniciativa importante ou de valor transformador na satisfação e no engajamento do cliente.

Os líderes são voltados aos talentos. Eles investem mais na contratação e na retenção de trabalhadores que as demais organizações. Além disso, apresentam possibilidade consideravelmente maior de favorecer estruturas organizacionais mais niveladas e ágeis.

Tudo isso leva a um círculo virtuoso de aquisição de novos talentos digitais, pois um número mais de três vezes maior de líderes afirma que seus colaboradores estão mais engajados graças à transformação digital. Eles também apresentam maior possibilidade de dizer que depois desses esforços conseguem atrair e reter talentos com mais facilidade.

Os líderes investem em tecnologia de última geração usando uma arquitetura bimodal. Portanto, não é de se estranhar que essas empresas estejam à frente das demais em termos de maturidade digital, principalmente no modo de trabalhar.

93% dos líderes dizem que a tecnologia é de importância crucial para manter a vantagem competitiva em comparação com 72% das outras empresas. Eles investem mais intensamente em Big Data e funções analíticas (94% versus 60%) e na Internet das Coisas (76% versus 52%). O estudo também revelou que 50% dos líderes estão usando inteligência artificial e machine learning, em comparação com 7% de todos os entrevistados.

Mas a principal diferença é o modo como os líderes aplicam essas tecnologias: 72% deles dizem que uma arquitetura de TI bimodal – envolvendo um mix de infraestrutura de front-end e back-end – é importante para a transformação digital, em comparação com 30% dos outros entrevistados.

As estruturas organizacionais usadas para implementar tecnologia também são diferentes, com os líderes favorecendo predominantemente uma abordagem mais centralizada. Eles apresentam possibilidade três vezes maior de ter um grupo dedicado à transformação digital ou de implementar a mudança usando organizações de TI que já estão focadas nos negócios. As outras empresas têm probabilidade muito maior de ver seus esforços dispersos em todas as operações, incluindo finanças e outras unidades funcionais.

Qual é o próximo passo?

Por enquanto, como disse Pat Bakey no SAP Leonardo Live, “vemos centelhas de inovação acontecendo, mas ainda observamos grandes fogueiras de oportunidades.”

Chegou a hora de as organizações de TI acelerarem a transformação digital, indo além das “ilhas de inovação” e adotarem uma abordagem mais holística e centralizada. Em sua maioria, as empresas em processo de transformação digital estão mudando o que fazem, mas não a forma como fazem.

Os líderes se destacam porque incorporaram a necessidade de transformar a maneira como pensam e o modo como trabalham para criar uma mentalidade digital em toda a organização.

A transformação digital determinará o futuro dos negócios e, portanto, não pode ser gradual nem analisada separadamente do modelo operacional. Por fim, nossa pesquisa mostra claramente que as empresas que tratam a transformação digital como mais um projeto de TI, não só ficarão para trás – elas deixarão de existir.

Vivek Bapat, vice-presidente sênior e diretor global de estratégia de marketing e posicionamento de mercado da SAP, diz o seguinte:

“Os próximos dois anos serão um ponto de inflexão fundamental que vai separar os vencedores digitais dos que ficaram para trás. A transformação digital deixou de ser uma escolha e se tornou um fator determinante para a receita, o lucro e o crescimento. Os executivos precisam deixar de apenas entender que há muito em jogo e começar a operar uma completa transformação em toda a empresa. Isso requer tecnologias revolucionárias e inovadoras, investimentos em habilidades digitais e novo treinamento da atual força de trabalho.”

Confira todos os dados detalhados do estudo sobre transformação digital da SAP. Para mais informações, acesse o SAP News Center. Siga a SAP no Twitter: @digitalistmag e @sapnews.

Artigo publicado por Timo Elliott. Divulgado pela primeira vez em Digital Business & Business Analytics e tem sido publicado novamente com permissão.

 

 

Sobre Timo Elliott

Timo Elliott é evangelista de inovação da SAP e defensor apaixonado de novidades, negócios digitais, funções analíticas e inteligência artificial. Ele foi o oitavo colaborador da BusinessObjects e nos últimos 25 anos tem trabalhado em contato direto com clientes da SAP de todo o mundo em novas direções tecnológicas e no impacto que elas causam nas organizações do mundo real. Seus artigos já apareceram em publicações como Harvard Business Review, Forbes, ZDNet, The Guardian e Digitalist Magazine. O sr. Elliott trabalhou no Reino Unido, Hong Kong, Nova Zelândia e Vale do Silício e atualmente mora em Paris, França. Ele é graduado em Econometria e tem patente na área de funções analíticas móveis.

Tags:

inovação, transformação digital, mentalidade digital, liderança digital, inovação dos processos de negócios, série de estudos sobre transformação digital

 

Tags: , ,

Deixe uma resposta