A importância da cibersegurança para o setor de saúde

Já previmos no ano passado que a cibersegurança seria uma das principais tendências tecnológicas na Economia Digital e falamos sobre como essa tecnologia vai definir o futuro das finanças. Essa tendência tecnológica será definitiva não apenas para as finanças, mas para qualquer setor que precise lidar com dados. Inclusive a área da saúde.

Hospitais, clínicas, indústrias farmacêuticas e instituições de saúde e bem-estar trabalham com quantidades enormes de dados diariamente. Informações do paciente, gestão de estoque de medicamentos, controle de visitantes, gerenciamento de toda a escala da força de trabalho, finanças, são muitos números e muitos deles com restrições de privacidade.

Ciberataques e pedidos de resgate de dados estão se tornando cada vez mais comuns. Segundo o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, mais de 113 milhões de registros de saúde americanos foram expostos em 2015, e, em 2016, foram mais de 16 milhões.

Segundo relatório do ITRC (Identity Theft Resource Center), o setor de cuidados de saúde representou 25,3% de todas as violações de dados nos EUA até março deste ano, com mais de 740.000 registros expostos. Esses números são um grande sinal de alerta para toda a indústria.

Por que o setor de Saúde se tornou alvo de ciberataques? Existem algumas razões principais para que os cibercriminosos tenham voltado a atenção para o setor:

Monetização dos dados

Cibercriminosos podem ganhar dinheiro com dados privados, usando esses dados para vender identidades médicas falsas ou roubando identidades dos pacientes. Além disso, eles ainda podem pedir resgate e extorquir as organizações para recuperar o acesso a sistemas e dados comprometidos.

Pouca preocupação com a segurança

Apesar da importância da privacidade dos dados, as organizações do setor de saúde contam com orçamentos e equipes enxutas dedicadas a cibersegurança. A maioria dos portais de serviços de saúde possui serviços de identificação e acesso muito simples. E a cultura das empresas toca muito pouco no assunto.

Outras indústrias mais protegidas

Conforme as outras indústrias se tornaram mais preparadas contra ciberataques, os cibercriminosos tiveram que encontrar outras fontes de dados, e voltaram-se para indústrias mais vulneráveis.

Existem algumas medidas que podem ajudar a melhorar a segurança das empresas da área de saúde contra os ciberataques:

Treinamento da equipe

Criar uma cultura forte e clara e treinar a força de trabalho é fundamental para garantir a privacidade e a segurança dos dados nos cuidados de saúde. Empresas de todos os tamanhos precisam trabalhar na manutenção de medidas adequadas de privacidade e segurança. Após colocar a segurança de dados como um dos pilares da empresa, é preciso treinar as equipes sobre as melhores práticas e como agir em casos de risco.

Segurança na cadeia de suprimentos

Manter o controle sobre a cadeia de suprimentos e abastecimento, sendo ela tão diversificada nesse setor, pode ser um desafio, mas é necessário. Invista em sistemas integrados que permitam que toda a sua rede se comunique de forma segura. Prestadores de serviços e fornecedores precisam se adaptar aos processos internos e regras de segurança.

Centralize os dados para obter mais controle

Assim como outras indústrias, a área de saúde conta com diversos setores e processos. Para garantir que tudo funcione com segurança é preciso que as informações estejam integradas em um único sistema, garantindo que os dados estejam alinhados e disponíveis apenas para cada setor interessado. O departamento financeiro, por exemplo, terá restrições de acesso a alguns dados do paciente, mas ainda terá acesso suficiente para que seus processos funcionem de forma eficiente.

Fortaleça a segurança de acesso dos usuários

Frequentemente vemos sites de empresas do setor que utilizam apenas login e senha para acessar toda a área restrita do paciente. Isso é um erro. É preciso implantar um processo de autenticação forte, como verificação em duas etapas ou uso de tokens geradores de senhas, por exemplo.

Experimente novas tecnologias

Além das soluções já existentes, empresas da área de saúde estão buscando novas formas de fortalecer a segurança da indústria. A tecnologia Blockchain, que está se popularizando no mundo das finanças, oferece uma nova forma de aumentar a segurança de dados médicos dos pacientes. Após uma série de ciberataques de 2007, a Estônia investiu em cibersegurança e tem sido conhecida como um dos países mais avançados digitalmente na Europa, e agora o governo está utilizando Blockchain para proteger dados médicos dos cidadãos.

Enquanto o setor de saúde se beneficia das vantagens da transformação digital, como a portabilidade e o alinhamento de dados, também é preciso adaptar a indústria para os riscos que podem surgir. Sua empresa está preparada?

Compartilhe seus insights sobre o assunto nas redes sociais da SAP: Facebook / Twitter / Instagram / LinkedIn. Assine nosso canal no WhatsApp e receba conteúdo relevante diariamente.