Drones – o futuro do transporte de cargas

Já falamos sobre como a Internet das Coisas pode ajudar a destravar o trânsito nas cidades, impulsionando a transformação no trânsito de veículos leves. Segundo um levantamento da Gartner, até 2020 haverá 250 milhões de veículos conectados. No entanto, é a tecnologia dos drones que promete revolucionar o transporte de cargas.

O transporte comercial e de carga contribui muito para o engarrafamento urbano. Os veículos de maior porte, como vans e caminhões, contribuem muito com a emissão de monóxido de carbono (CO) e com a necessidade de manutenção das vias, e quando esses veículos ficam parados as empresas acumulam maiores custos de combustível e mão-de-obra.

Os drones evoluíram rapidamente do conceito de um brinquedo de controle remoto para aplicações de filmagem e produções fotográficas, e agora estão prontos para serem explorados pelo setor logístico.

Sem precisarem enfrentar o trânsito urbano, os drones têm grande vantagem para cumprir prazos. Eles também podem ser totalmente rastreados, o que permite ao comerciante e ao comprador maior controle sobre a entrega. Além de tornar entrega mais eficiente, segura e confiável, os drones também beneficiam a empresa ao reduzir a carga de trabalho e processo logístico.

A PWC prevê que a demanda por drones comerciais crescerá mais rapidamente deste ano até 2020, crescendo de um valor de mercado de cerca de US$ 100 bilhões para cerca de US$ 127 bilhões em 2020. O mercado de drones também deve impulsionar a economia e a geração de empregos. Estima-se que o setor de drones comerciais possa adicionar cerca de 100 mil novos empregos para a economia dos Estados Unidos, e a onda deve se estender para outros países que adotarem a tecnologia.

Quem acompanhou a CES este ano, provavelmente viu novas aplicações para drones sendo apresentadas na feira. A tecnologia não para de evoluir e considerando todos os benefícios desse recurso, parece que esse é mesmo o futuro do transporte de carga.