O desafio do diretor financeiro nas empresas de médio porte no Brasil: da operação à inovação

Os executivos financeiros gastam a maior parte de seu tempo e recursos em tarefas operacionais, fazendo com que eles não tenham tempo para impulsionar a modernização. O iERP não só ajuda a gestão administrativa da empresa, mas é o alicerce para a modernização das empresas à medida que melhoram a visão de mercado e as demandas dos clientes, permitindo iniciar os processos de melhoria que impulsionarão o sucesso na competitividade. Os diretores financeiros, juntamente com os diretores de tecnologia da informação e tomadores de decisão da empresa, devem rever a situação da organização e estabelecer a estratégia para sua transformação digital.

A IDC compartilha algumas ideias sobre como iniciar esse caminho.

Por: Enrique Phun, analista sênior de Cloud para IDC Latinoamérica
Jerónimo Piña, gerente de Pesquisas em Software e Cloud para IDC Latinoamérica
Luciano Ramos, gerente de Pesquisa de Software e Serviços de TI para IDC Brasil

No Brasil, as prioridades dos diretores financeiros (Chief Financial Officer ou CFO) se concentram principalmente na melhoria da tomada de decisões, seguida da melhoria dos recursos de planejamento do orçamento e da melhora do fluxo de caixa. Além disso, os CFOs têm também a responsabilidade de cuidar para que os riscos causados pela volatilidade do mercado e a concorrência não inibam o seu desempenho ou o seu crescimento.

Mas, quão simples será este trabalho e quão respaldados estão os CFO pelos sistemas de sua organização?

Infelizmente, nem todas as empresas evoluíram sua infraestrutura tecnológica, e muitos dados da organização ainda são gerenciados em silos ou planilhas que não são uma aplicação financeira efetiva, o que dificulta a tomada de decisões por não contar com uma visão analítica em tempo real sobre o estado da organização e as demandas do mercado.

Tendo isso em vista, os executivos financeiros concentram a maioria do seu tempo e recursos em resolver a parte operacional de seu trabalho e contam com uma pouca margem para impulsionar a modernização da sua área ou da organização.

Uma alternativa para solucionar estes desafios é a modernização do seu sistema financeiro atual por um ERP inteligente ou i-ERP em nuvem, o qual, considerando sua infraestrutura tecnológica, reduz custos ao contratá-lo na modalidade de software como serviço (SaaS) e reduz o tempo de implementação na organização.

Os i-ERPs são soluções que permitem automatizar os seus processos operacionais, como faturas, pedidos, compras, vendas, etc., rompem os silos e permitem centralizar a informação, o que facilita a geração de relatórios financeiros em tempo real, melhorando o controle dos recursos ao detectar os riscos e estabelecer medidas de melhoria.

Adicionalmente, reduzem as margens de erro e oferecem uma maior certeza da operação da organização, uma vez que permitem um melhor planejamento dos orçamentos e projetos, enquanto ajudam a melhorar a tomada de decisões, a relação com os investidores e oferecem um maior suporte às outras linhas do negócio.

Na parte estratégica, o i-ERP estrutura as bases para a modernização ou mudança no modelo de negócio das organizações ao melhorar a sua visão de mercado, posicionar as novas demandas dos clientes e iniciar o processo de inovação de serviços, produtos e atendimento ao cliente.

Por meio das ferramentas colaborativas, a empresa consegue melhorar a comunicação entre os administradores e estabelecer grupos de trabalho para a modernização da organização.

De acordo com os estudos que desenvolvemos na IDC, a compra de soluções ERP no Brasil –em empresas entre 100 e 1000 colaboradores – conseguiu em 2017 um crescimento médio anual de 11%, enquanto que a compra de sistemas em nuvem atingiu um aumento de 57% em relação a 2016.

A projeção para o país até 2021é que o investimento em soluções ERP sob licenciamento mantenha uma taxa média anual de crescimento de 3,7%, enquanto a taxa para as soluções em nuvem seria de 26,5% no mesmo período.

No caso específico da aquisição de sistemas financeiros e gestão de desempenho empresarial, o crescimento em 2017 foi de 8% e, para as aplicações em nuvem, a taxa de aumento foi de 66% no mesmo período.

Em nível regional, as cifras mostram que as médias organizações estão mudando na forma de adquirir as soluções empresariais, sob o modelo de SaaS, pelos benefícios que isso representa em redução de custos e na facilidade de implementa-los em seus processos.

Os diretores financeiros, em conjunto com os diretores de tecnologia da informação e os tomadores de decisão da empresa, devem fazer uma revisão da situação da organização e estabelecer a estratégia para a sua transformação digital. É necessário que desenvolvam um plano para a migração ou modernização do seu sistema empresarial para um i-ERP, que lhes permita a automatização dos seus processos operacionais, bem como contar com dados em tempo real e centralizados para conseguir uma visão completa da empresa.

Desta forma, as empresas de médio porte poderão estipular as bases para integrar a organização à economia global, por meio de um modelo de negócio inovador e mais competitivo, com base no conhecimento detalhado da empresa, seus clientes, fornecedores e demandas do mercado para o desenvolvimento de novos produtos, serviços e relações com os consumidores.

Artigo original: https://www.sap.com/brazil/documents/2018/06/04304946-0a7d-0010-87a3-c30de2ffd8ff.html

Conheça mais sobre as soluções SAP para PMES.

 

Acesse as redes sociais da SAP: Facebook Twitter LinkedIn Instagram / WhatsApp

© 2018 SAP SE. All rights reserved. SAP and other SAP products and services mentioned herein as well as their respective logos are trademarks or registered trademarks of SAP SE in Germany and other countries. Please see http://www.sap.com/corporate-en/legal/copyright/index.epx#trademark for additional trademark information and notices.