Dia Mundial dos Oceanos – Como nossas ações estão prejudicando este ecossistema

Por: Armando Rodriguez

No Dia Mundial dos Oceanos, celebrado em 8 de junho, o alerta é sobre a contaminação das águas e a extinção de biomas, causada pelas ações humanas.

A preocupação com a preservação dos recursos naturais só aumenta à medida que estudos sobre a diminuição da biodiversidade vão sendo divulgados com informações sobre a extinção de diversas espécies animais. Dados divulgados pelo relatório de avaliação global sobre biodiversidade e serviços ecossistêmicos do programa intergovernamental Plataforma de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos, lançado em Paris no início de maio, fazem o alerta.

Um triste reflexo de como as ações humanas estão destruindo o planeta de maneira acelerada. De acordo com informações do relatório, 75% das terras do planeta e 66% dos oceanos já foram significativamente alterados. Ainda segundo o documento, as áreas urbanas dobraram de tamanho desde 1992, ocasionando a ocupação de mais de um terço da superfície terrestre e o uso de 75% dos recursos de água doce para o cultivo de alimentos.

8 de junho marca o Dia Mundial dos Oceanos, ou World Oceans Day, que teve início em 1992 durante a conferência Eco-92. Na data, entidades internacionais como as Nações Unidas, organizações que lutam pela preservação do meio ambiente e diversos países discutem como reduzir o lixo que é descartado nos oceanos e que está causando a morte de diversas espécies marítimas, tornando esse ambiente impróprio para a manutenção da vida animal.

O relatório aponta que a poluição plástica cresceu 10 vezes desde 1980 e que, anualmente, cerca de 400 milhões de toneladas de metais pesados, solventes, lama tóxica e outros resíduos industriais são lançados nas águas. Outro ponto é o fato de fertilizantes utilizados na agricultura terem causado mais 400 zonas mortas no oceano.

Os esforços para frear as agressões ao meio ambiente têm sido levantados por diversos países e organizações, além da população em geral. Campanhas como a de restrição ao uso de canudos plásticos, por exemplo, conseguiram a adesão de grandes redes de restaurantes, que já não os distribuem. Outras medidas, como campanhas que incentivam a reciclagem e reutilização de resíduos, também estão mobilizando empresas, governos e sociedade civil.

Em muitos lugares, conseguir água potável para consumo é quase impossível. Países como a Índia sofrem com o desabastecimento gerado pela má gestão dos recursos hídricos, a falta de políticas de saneamento, o aumento populacional e os grandes períodos de seca que ocorrem no país, além do vazamento de água em sistemas de irrigação, tubulação e torneiras.

Buscando solucionar este problema, a Vectus e a SAP se uniram para ampliar o armazenamento e a distribuição de água no país. A Vectus é a principal empresa a realizar este trabalho, mas precisava ampliar o monitoramento sobre as áreas onde ocorrem maior incidência de desperdício de água, e isso só foi possível com a ajuda do software SAP S/4HANA.

A partir daí, os principais processos da Vectus foram digitalizados, viabilizando insights que ajudaram a identificar que o principal culpados pelo desperdício de água era o vazamento através de canos.

Relatórios como o apresentado em Paris mostram que soluções para recuperar e amenizar os impactos das ações humanas na natureza são urgentes. O exemplo do trabalho realizado pela Vectus, com a ajuda da tecnologia SAP, mostra que existem soluções e que não podemos ficar parados. Esta é uma pauta urgente.

Facebook Twitter LinkedIn Instagram / WhatsApp / Youtube

© 2019 SAP SE. All rights reserved. SAP and other SAP products and services mentioned herein as well as their respective logos are trademarks or registered trademarks of SAP SE in Germany and other countries. Please see http://www.sap.com/corporate-en/legal/copyright/index.epx#trademark for additional trademark information and notices.