SAP e Roland Berger Apresentam Estudo Com Plano de Acção Para Aposta Europeia em “Cloud Computing”

Aposta no Cloud Computing Pode Gerar 70 Mil Empregos Europeus por Ano, num Mercado Global Que Irá Triplicar Até 2015, Atingindo os 73 Mil Milhões de Dólares.

SAP e Roland Berger Propõem Plano de Acção Para Que a Europa Ganhe Aposta Numa Das Maiores Oportunidades de Crescimento na Economia Global.

LisboaA SAP e a Roland Berger divulgam hoje as conclusões do estudo “Survival of the Fittest – How Europe Can Play a Leading Role in The Cloud”, que vem chamar a atenção para a necessidade de acção imediata, decisiva e coordenada por parte dos poderes públicos e das empresas para que a Europa beneficie do crescimento gerado pela revolução tecnológica em curso através do “Cloud Computing”.

Em 2010, foram investidos cerca de 21,5 mil milhões de dólares em cloud computing e serviços relacionados, um mercado que deverá triplicar até 2015, atingindo os 73 mil milhões e tornando-se o segmento de mais rápido crescimento no mercado global de tecnologias de informação e comunicações (TIC).

“O Cloud Computing está a florescer e a ser adoptado de forma massiva pelos decisores e utilizadores profissionais, o que traz boas perspectivas de crescimento para os fornecedores europeus nesta área,” afirma Carsten Rossbach, Partner na Roland Berger. “Esta área pode dar um contributo sustentável para o crescimento do emprego europeu, se tivermos as competências, a oferta e o enquadramento adequados.” Segundo o estudo agora publicado, a actividade económica associada a esta tecnologia pode criar anualmente 70 mil empregos na Europa, numa estimativa conservadora.

Um novo ecosistema para as empresas na Europa

Com a migração massiva do processamento da informação para a “Cloud”, surgirá nos próximos anos um novo ecosistema empresarial e de negócios. “O Cloud Computing representa uma verdadeira revolução, em especial para as PME,” observa Peter Lorenz, Head of On-Demand Solutions na SAP. “Isto porque estas empresas terão acesso a recursos tecnológicos comparáveis aos das grandes empresas, o que cria novas oportunidades para as PME e para os fornecedores que souberem posicionar-se para garantir soluções personalizadas e serviços flexíveis.”

Oportunidade europeia está no software e nas plataformas

O mercado de serviços na “Nuvem” inclui três segmentos principais: “Infrastructure as a Service” (acesso a recursos externos de computação e armazenamento); “Software as a Service” (acesso a aplicações e sistemas desenvolvidos e fornecidos por terceiros); e “Platform as a Service” (acesso a recursos e ambientes externos para desenvolvimento e utilização de aplicações e sistemas próprios). “A infraestrutura é um negócio maduro, de margem baixa, dominado por fornecedores americanos,” observa Carsten Rossbach. O software e as plataformas são as oportunidades emergentes de maior potencial em que a Europa deve apostar. De acordo com o estudo, estes dois segmentos, pela sua capacidade de criar novos ecosistemas de empresas inovadoras, serão os que terão maior impacto na economia.

SAP e Roland Berger propõem cinco passos para a Europa na “Nuvem”

Nas suas conclusões, o estudo advoga a necessidade de as empresas e os poderes públicos trabalharem em conjunto para criar as condições para que a economia europeia beneficie desta revolução. Neste contexto identifica cinco grandes acções:

    Criar um enquadramento legislativo europeu – nomeadamente através da harmonização da legislação sobre segurança e protecção de dados em toda a Europa;
  • Criar a referência de qualidade para a “Nuvem Europeia” – os fornecedores europeus devem criar um selo de qualidade para serviços na nuvem para incentivar a adopção deste tipo de serviços;
  • Inovar na Nuvem – A União Europeia e os estados-membros devem orientar mais recursos para programas de inovação e desenvolvimento relacionados com esta temática;
  • Cloud Computing para as PME – Promover esta ideia e serviços junto das PME, nomeadamente por parte dos poderes públicos;
  • Tornar o sector público num exemplo – O sector público deve ser um pioneiro e um dos maiores compradores de soluções tecnológicas na Europa, dando o exemplo e criando referências que encorajem a massificação deste tipo de serviços.

“Um exemplo recorrente no trabalho de campo é a referência à necessidade de standards europeus de protecção de dados,” afirma Carsten Rossbach. “Os decisores e profissionais mencionaram constantemente a necessidade de se criar standards técnicos, legais e financeiros para o cloud computing. Esta é uma situação que requer acção imediata.”

Sobre a Roland Berger
A Roland Berger Strategy Consultants, fundada em 1967, é um líder mundial em consultoria estratégica. Com mais de 2500 colaboradores em 45 escritórios e 33 países em todo o mundo, tem operações bem sucedidas em todos os principais mercados internacionais. É uma sociedade independente detida de forma exclusiva por cerca de 200 partners.