SAP disponibiliza novas soluções para ajudar as empresas a gerenciar interrupções provocadas pelo COVID-19 na cadeia de suprimentos

  • Módulos integrados de SAP Digital Supply Chain, SAP Ariba e SAP Qualtrics estão disponíveis por 90 dias sem custos e são direcionados para o relacionamento entre compradores e fornecedores
  • Estudo da SAP e Oxford Economics revela como líderes de supply chain minimizam riscos e maximizam oportunidades e mostra o perfil das empresas mais preparadas para enfrentamento de crises como a da Covid-19

A SAP anunciou novas ofertas e acesso a tecnologias para ajudar as empresas a enfrentar e superar os efeitos da pandemia da COVID-19. Ao usar as soluções SAP Digital Supply Chain, SAP Ariba e Qualtrics, as empresas podem identificar e solucionar facilmente possíveis interrupções nas cadeias de suprimentos antes que ocorram, encontrar fontes alternativas e ajudar a movimentar mercadorias de maneira eficiente e econômica.

“A manutenção das atividades da cadeia de suprimentos, em todos os setores, principalmente na área da saúde, é fator primordial para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, garantindo o abastecimento de insumos que são usados em hospitais, laboratórios, centros de pesquisa e produção de medicamentos. Com essas soluções, contribuímos para que as empresas sigam seus procesoss de negócios com maior visibilidade entre diferentes áreas das empresas, respostas mais rápidas e um melhor balanceamento entre produção, estoques, ofertas e demandas em tempos de crise e pós-crise e visando manter ativas as linhas de produção, como de abastecimento”, explica Eliseo Bouzan, vice-presidente para soluções de Digital Supply Chain da SAP Brasil.

As novas soluções, disponíveis sem custos por 90 dias para clientes e não clientes, são:

  • SAP Integrated Business Planning for Supply Chain permite o planejamento de cenários para avaliar o impacto da cadeia de suprimentos, as opções de suprimento e as implicações financeiras. Os clientes poderão simular mudanças na demanda e o impacto das alterações na taxa de produção para eliminar gargalos e aumentar a resiliência.
  • Solução Qualtrics Supply Continuity Pulse: Para ajudar os compradores a ter visibilidade sobre a saúde dos fornecedores e analisar proativamente o risco geral associado a possíveis interrupções nas cadeias de suprimentos, a SAP combinou a expertise em gestão de compras e experiências das soluções SAP Ariba e Qualtrics para criar o Qualtrics Supply Continuity Pulse.

Com essa oferta pré-configurada, os compradores podem submeter um questionário aos fornecedores e receber resultados imediatamente após suas respostas. As informações coletadas junto aos fornecedores podem ser usadas para ajudar a identificar possíveis restrições de fornecimento ou comprometimento dos prazos de entrega; áreas para aperfeiçoar cobertura visando a continuidade dos negócios e planos de recuperação e maneiras de colaborar e ajudar fornecedores a atender à demanda.

 

Estudo da SAP e Oxford Economics revela como líderes de cadeias de suprimentos minimizam riscos e maximizam oportunidades

A SAP divulgou o relatório de uma pesquisa realizada em parceria com a Oxford Economics, cujos resultados apresentam informações especialmente oportunas para ajudar empresas a minimizar paralisações nas cadeias de suprimentos, mesmo durante momentos de crise. As companhias melhores posicionadas priorizam suas cadeias de valor, garantindo que a cadeia de suprimentos e suas funções estejam totalmente integradas à estratégia organizacional.

O estudo batizado de “Sobrevivendo e prosperando – como os líderes da cadeia de suprimentos minimizam risco e ampliam oportunidades” mostrou que 12% dos entrevistados conta com cadeias de suprimentos mais resilientes e níveis mais altos de inovação, de clientes e funcionários satisfeitos e com maior crescimento em comparação com outros participantes da pesquisa. Embora todas as cadeias de suprimentos estejam vulneráveis a riscos em uma economia global, a pesquisa sugere a adoção de características dos líderes da indústria para que as organizações estejam melhores preparadas, especialmente para os períodos de paralisação.

Entre as empresas melhores posicionadas, os líderes das cadeias de suprimentos são identificados como aqueles que compartilham as quatro características a seguir:

  • Baseiam a maioria das decisões relacionadas à cadeia de valor dos produtos em demandas dos clientes;
  • Levam em conta questões de sustentabilidade, do design do produto até a entrega;
  • Levantam informações em tempo real e agem de forma fundamentada, geralmente usando inteligência artificial ou análise preditiva;
  • Implantam tecnologias avançadas em escala.

“O mundo em que vivemos, embora muitas vezes turbulento, recentemente virou de cabeça para baixo com o impacto da COVID-19″, afirma Martin Barkman, vice-presidente sênior e Head da área de Supply Chain Digital da SAP. “Essa situação sem precedentes levou a interrupções graves nas cadeias de suprimentos, tornando difícil para as empresas cumprir prazos de entrega e atender às demandas dos clientes. Agora, mais do que nunca, precisamos de cadeias de suprimentos que sejam resilientes”, completa.

“As revelações mostram que executivos responsáveis por cadeias de suprimentos precisam de visibilidade para tomar decisões fundamentadas com rapidez e precisão, explorando tecnologias que ajudam as empresas a perceber, prever e reagir diante dessa dinâmica global”, acrescenta Ben Wright, analista sênior de pesquisa da Oxford Economics.

Embora a pesquisa tenha sido concluída nos primeiros dias da COVID-19, antes que interrupções na cadeia de suprimentos se tornassem uma crise, seus resultados se aplicam aos desafios atuais.

O estudo, realizado no primeiro trimestre de 2020, consultou 1 mil executivos decisores na área de supply chain e localizados na América do Norte e América Latina, Europa, e Ásia Pacifico, representando indústrias de manufatura, bens de consumo, energia e recursos naturais, telecomunicações, farmacêuticas e ciências da vida, alta tecnologia, construção e engenharia e transportes, incluindo o aéreo. Consulte a íntegra do relatório da SAP e da Oxford Economics para conhecer mais detalhes sobre os resultados da pesquisa.