SAP Ariba aponta três tendências de negócios para o gerenciamento da cadeia de suprimentos em 2022

Consolidação da nuvem, colaboração ágil e simplificada e foco na agenda ESG ganham relevância na gestão da cadeia de suprimentos

O ano de 2022 será marcado pela inovação no gerenciamento da cadeia de suprimentos, setor que tem se reinventado para atender as mudanças nas demandas dos negócios com as incertezas e gargalos criados pela pandemia global de COVID19. A SAP, líder global em soluções de gestão da cadeia de suprimentos, aposta em três grandes tendências que irão contribuir para a evolução do tema durante o ano.

 

“O impacto dos gargalos causados pela pandemia mostrou a importância da economia de rede. As organizações sabem que ninguém faz negócios isoladamente”, comentou comenta Silvio Abade Júnior, vice-presidente da SAP Ariba no Brasil. “O sucesso não depende apenas da capacidade de entrega, mas também da capacidade de adicionar inteligência ao processo de gestão da cadeia de suprimentos, o que não só traz agilidade e economia, como também garante que as empresas estão atuando com parceiros alinhados com sua jornada de governança social e ambiental.”

 

Para a SAP, o mundo pós-covid exigirá da gestão da cadeia de fornecedores agilidade e resiliência para garantir a continuidade dos negócios. A necessidade de se integrar ferramentas inteligentes e conectadas naturalmente indica que a computação em nuvem continuará em alta no setor. A busca por soluções de nuvem escaláveis e inteligentes devem incentivar ainda mais a inovação e a adoção da tecnologia nos serviços que atuam diretamente nas cadeias de suprimentos, integrando a área logística e o setor de varejo de uma determinada empresa, por exemplo. Com isso, uma determinada empresa pode simplificar o trabalho conjunto dos dois setores e aprimorar processos como giro de estoque, produção sob demanda e até mesmo a reposição de produtos em gôndolas quando necessário.

 

Uma das vantagens da adoção massificada de soluções em nuvem é a capacidade de criar métodos de colaboração automatizadas dentro da cadeia de suprimentos, serviço que a SAP acredita que será altamente valorizado pelo mercado em 2022. A família de soluções SAP Business Network, que permite este tipo de colaboração em tempo real, tem sido adotada rapidamente pela comunidade de negócios no Brasil, e o passo deve se acelerar ao longo de todo o ano. A SAP Business Network permite a colaboração com todos os parceiros comerciais em sua cadeia de suprimentos, incluindo fornecedores, prestadores de serviços e logística, operadores de ativos, pessoal de manutenção terceirizada, entre outros. A empresa pode obter visibilidade em todos os processos da cadeia de suprimentos e criar resiliência nos negócios.

 

Apesar de estar na “moda” recentemente, a jornada ESG (governança social e ambiental) remete há mais de cinco décadas. Não podemos nos esquecer dos regulamentos já existentes, como os Princípios do Equador e dos Principles for Responsible Investments (PRI), critérios aplicados há alguns anos por instituições internacionais e das iniciativas coletivas, como Sistema B e Pacto Global da ONU, que crescem a cada dia. Essa preocupação também chegou à gestão da cadeira de suprimentos, com a demanda crescente por ferramentas que melhorem a transparência e a mitigação de riscos relacionados a fornecedores que não estejam alinhados com as expectativas socioambientais dos compradores. A gestão inteligente da cadeia tem sido a principal aliada da boa governança na hora de selecionar e fiscalizar fornecedores diversos, exigir e fiscalizar códigos de conduta em contratos e também gerir estruturas de incentivos que podem melhorar a conscientização e o desempenho de terceiros em suas próprias jornadas de governança e bem-estar social.

 

“A adoção de soluções em nuvem é apenas o primeiro passo na modernização da cadeia. Para 2022, nossa expectativa é que as empresas passem a utilizar todo o seu potencial por meio da colaboração nos seus mais diversos aspectos – da assertividade na contratação dos fornecedores certos, agilidade na hora de garantir o funcionamento correto de toda a cadeia, e a responsabilidade de criar um mundo mais sustentável e justo”, finalizou Silvio Abade.