Relatório de sustentabilidade da SAP Brasil mostra avanços na agenda de zero carbono

A subsidiária brasileira é a única no mundo a reportar suas iniciativas de sustentabilidade locais; novo relatório reforça papel da SAP como habilitadora da agenda ESG das empresas

A SAP divulga hoje (9) o Relatório de Sustentabilidade SAP Brasil 2021, a segunda edição do seu reporte anual de ações nas agendas ambiental, social e de governança (ESG), durante o SAP Sapphire São Paulo, principal conferência da SAP para clientes, especialistas e parceiros, que acontece no Pavilhão da Bienal no Parque do Ibirapuera.

A SAP Brasil foi a primeira subsidiária no mundo a lançar um relatório ESG focado na operação local, com o objetivo de compartilhar com a sociedade as ações alicerçadas nos dois pilares estratégicos definidos pela companhia: atuar como exemplo, ao adotar as melhores práticas “dentro de casa”; e como habilitadora, ao fornecer produtos e soluções de tecnologia que possibilitem aos clientes incorporar e medir indicadores de sustentabilidade em diferentes etapas operacionais.

Em 2021, a importância da sustentabilidade nos negócios ganhou maior relevância, muito por conta da permanência da pandemia de Covid-19, ainda que de forma menos grave. “Buscar novas formas de reduzir os impactos na natureza se uniu à necessidade de apoiar as pessoas, sejam colaboradores diretos, fornecedores ou a sociedade em geral. Com isso, pudemos colaborar e transformar verdadeiramente as empresas em modelos inteligentes e conectados em uma rede sustentável, por meio de nossos produtos e serviços”, destacou Adriana Aroulho, presidente da SAP Brasil.

A SAP tem a sustentabilidade inserida de fato em seu modelo de negócio, buscando sempre atingir os “três zeros”: zero em emissões de carbono na atmosfera, zero desperdício e zero desigualdade. Com a instituição do Comitê de Sustentabilidade em 2020, o tema é abordado de forma estruturada dentro da companhia e permeia todas as áreas.


Principais destaques do relatório de sustentabilidade 2021 da SAP Brasil:

  • Por meio do programa Carbon Free, a SAP Brasil compensou as emissões de carbono de toda sua frota de veículos com a neutralização de mais de 693 toneladas de gás e o plantio de 4.992 mudas de árvores. A meta é tornar as operações livres de carbono até 2023.
  • A SAP Brasil registrou também o descarte correto de mais de 243 quilos de lixo eletrônico, evitando a contaminação de água, solo e ar por substâncias tóxicas.
  • O uso de plástico de uso único foi reduzido a zero no dia a dia da SAP, uma cultura que se ampliou para 468 fornecedores ativos da empresa no país.
  • Foi implementado em julho de 2021 na ONG Brigada Carcará – instituição sem fins lucrativos que atua em projetos de defesa do meio ambiente – um aplicativo baseado em SAP Business Technology Platform e SAP HANA para apoiar brigadistas no combate a queimadas, resgate da fauna, prevenção de novos incêndios, planejamento de reflorestamento e proteção à população de Brumadinho (MG).
  • Em parceria com a Fundação Amazônia Sustentável (FAS), a SAP realizou melhorias no software de analytics para gestão e transparência da ONG, além de oferecer mentoria a pequenos empreendedores locais para endereçar desafios de negócios e apoiar a manutenção da floresta em pé.
  • A SAP subiu da 19ª para a 9ª posição no ranking da Great Place to Work (GPTW) dos melhores lugares para se trabalhar. E o Net Promoter Score (NPS) da SAP Brasil referente à confiança na liderança subiu sete pontos percentuais, atingindo 77%. A SAP também conquistou em nível global o índice de 82% no Business Health Culture Index (BHCI), que conecta bem-estar da equipe e resultado financeiro.
  • As mulheres respondiam em 2021 por 35,9% da força de trabalho e representavam 53,3% das contratações realizadas – um crescimento médio que permitirá atingir a paridade entre gêneros já em 2028, dois anos antes da meta estipulada para 2030.
  • As mulheres ocupam 28% dos cargos de gestão, uma alta de 3,7 pontos percentuais na comparação com o ano anterior.
  • Ampliação e a implementação da política única de parentalidade: são seis meses de licença para o cuidador primário e três meses para o cuidador secundário, independentemente de gênero ou formação – hétero ou LGBTQIA+. Em 2021, utilizaram essa licença 111 colaboradores.
  • O programa de voluntariado contou com 974 voluntários que dedicaram 3.710 horas em ações realizadas em conjunto com 18 ONGs e quatro clientes e parceiros, impactando um total de 151.246 pessoas.

 

O relatório completo está disponível neste link.