iugu adota SAP S/4HANA para ampliar governança e dar sustentação à estratégia de crescimento

A iugu, fintech de gestão e automação financeira, recebeu a licença do Banco Central em agosto para atuar como instituição de pagamento. Agora, a empresa iniciou a implementação do sistema de gestão inteligente SAP S/4HANA para entrar em uma nova fase de crescimento, que exige evolução nos processos e controles internos em um ambiente regulatório mais elaborado.

“O sistema integrado de ERP SAP S/4HANA proporciona uma aderência muito grande e estabelece processos e procedimentos em todo o backoffice financeiro, aliados às melhores práticas de governança corporativa”, diz Andre Luiz Goncalves, CFO da iugu.

Com a ferramenta da SAP, a iugu poderá parametrizar, por exemplo, os relatórios mensais e semestrais exigidos pelo Banco Central, que poderão ser obtidos diretamente. “É um investimento importante e estratégico para a iugu, que permite escalabilidade do nosso negócio com segurança para os clientes e fornecedores, e transparência para os nossos acionistas”, afirma Gonçalves. Nesta nova fase, a fintech passará por processos de supervisão e auditorias tanto pelo Banco Central quanto pela KPMG, auditoria independente, e de acordo com o CFO, o ERP da SAP será fundamental para processos e compliance.

Para a iugu, este projeto é estratégico. A empresa contará com um acompanhamento muito próximo da SAP, por meio do time do Customer Office. “Faremos os checkpoints no ciclo completo do projeto para testar se estamos alinhados aos padrões internacionais da SAP. Todos engajados para garantir a qualidade do projeto”, reforça Gonçalves.

“O SAP S/4HANA tem sido a escolha das empresas que querem preparar suas operações para novos ciclos de crescimento com segurança, escalabilidade e controle total do backoffice. O projeto trará maior controle sobre os dados, entregando capacidade analítica para melhor tomada de decisões pela iugu”, explica Mario Tiellet, vice-presidente de General Business da SAP Brasil.

 

Sobre a iugu

A iugu é uma fintech de gestão e automação financeira com foco em meios de pagamentos, assinatura (recorrência) e marketplace (split). Fundada em 2012, é responsável pela gestão de mais de 50 mil contas ativas, em diferentes áreas como desenvolvedores de software, clubes de assinatura, escolas, empresas de contabilidade, academia, e-commerces e ERPs. Em 2020, a empresa levantou R$ 120 milhões de investimento com o Grupo Goldman Sachs e recebeu a licença do Banco Central para operar no Brasil como Instituição de Pagamentos regulamentada.